NOS Alive: Teresinha Landeiro e Buba Espinho- A tradição e o futuro da música em Portugal a eles pertence

 

 

 

O segundo dia de NOS Alive levou Teresinha Landeiro e Buba Espinho ao EDP Fado Café, numa demonstração de vitalidade e longa vida aos dois patrimónios da humanidade: o Fado e o Cante.

 

 

Teresinha Landeiro tem novo disco, “Namoro”, e apresentou-se muito segura em palco, no primeiro de dois espectáculos que deu, numa demonstração de algumas das qualidades que lhe são reconhecidas pelo público e pela crítica.

 

 

Considerada um dos nomes mais promissores da nova geração fadista, Teresinha Landeiro pode mesmo vir a ser um caso sério. Num limbo entre a tradição e a renovação, num fado que sendo antigo é também contemporâneo, uma voz com a segurança dos mais velhos com um rosto de menina.

 

 

O diálogo com o público foi feito de uma forma acertada, nos tempos certos e com mensagens curtas e claras. No canto esteve afinada, bem nas mudanças de registo e melhor ainda na transmissão das mensagens dos temas. Do fado tradicional ao musicado, das marchas a canções, Teresinha soube dar sempre a sua identidade. Esteve, muito bem, acompanhada por Pedro de Castro na guitarra portuguesa, André Ramos na viola de fado e Ciro Bertini no baixo.

 

 

“Santo António Traiçoeiro”, “Raminhos de Violeta”, Fado Perseguição, “Casinha”, entre outros, constaram do alinhamento bem construído e de acordo com o festival NOS Alive.

 

 

Buba Espinho subiu a palco já passava das 21:00, com um ligeiro atraso face ao inicialmente previsto, para o primeiro de dois espectáculos. Buba traz consigo o Fado, o Alentejo e também composições da sua própria autoria. É dos mais talentosos artistas nacionais da sua idade, dos que mais potencial tem para crescer, pese embora alguns erros corrigíveis, e também a ele pertence o futuro de dois patrimónios: o fado e o cante!

 

 

 

A sua interpretação vai da doçura à amargura, da alegria à tristeza e tudo de uma forma que conquista que o ouve. Buba Espinho tem a, rara, capacidade de emocionar ao primeiro impacto. Deverá aproveitar este espectáculo para melhorar pequenos aspectos para os próximos. O futuro é dele…assim o queira. Foi acompanhado em palco por Bruno Chaveiro na guitarra portuguesa, João Domingos na viola de fado e André Moreira no baixo.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 13/07/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

_