A Praça de Touros Palha Blanco, em Vila Franca de Xira, recebeu este sábado uma novilhada de promoção aos novos valores.

O cartel foi composto pelos cavaleiros Francisco Núncio e Ricardo Cravidão e os novilheiros Alejandro Rivero, Júlio Alguiar, Filipe Martinho e Duarte Silva. Actuaram, ainda, os Forcados Amadores de Vila Franca de Xira perante novilhos de Falé Filipe.

Apesar de ser de entrada gratuita, a Palha Blanco registou aceitável entrada de público, com meia casa preenchida. A novilhada iniciou com mais de 30 minutos de atraso devido… à ausência da banda. O publicou demonstrou alguma impaciência mas manteve-se em praça.

Abriu a tarde o cavaleiro Francisco Núncio perante novilho com 370 Kg. Lide irregular do jovem cavaleiro perante um touro que pedia contas e investia com cara alta quando pisados os seus terrenos. Alguns toques na montada e um encosto a tábuas foram alguns dos destaques negativos, havendo pela positiva a realçar o segundo curto. Lide sem direito a música. Boa pega à primeira tentativa com o touros a fugir do grupo, mas com a forcadagem vilafranquense a reagir rapidamente e a consumar com brio.
Foi apenas autorizada volta ao forcado, que a deu de barrete e tricórnio na mão.

Ricardo Cravidão lidou um astado com 335 kg. O cavaleiro contou com um touro colaborante e ao qual deu bom entendimento. Uma lide em crescendo medindo bem os terrenos, brega ajustada e cravando a preceito e com uma boa ligação ao supremo que estava na bancada. Cravidão aproveitou bem a oportunidade. O grupo de Vila Franca de Xira voltou a estar bem nesta pega, efectivando ao primeiro intento. Volta para cavaleiro e forcado.

Alejandro Rivero esteve francamente bem perante um bom novilho de Falé Filipe. Após regular no capote e com os seus bandarilheiros a efectivar com competência o tercio de bandarilhas, Rivero esteve com classe conseguindo várias séries, quer pela esquerda quer pela direita, com temple e a mostrar qualidades para triunfar. Agradável presença na Palha Blanco do novilheiro praticante da escola taurina de Badajoz.

Da escola taurina de Málaga veio o novilheiro praticante Júlio Alguiar. Bem no capote e com os seus bandarilheiros a falharem no tercio de bandarilhas (não houve um par cravado na íntegra) era importante evoluir na muleta. E que maturidade, carisma e desplante. Foi forte a ligação na faena e também ao exigente público vilafranquense. Numa faena brindada a Vítor Mendes, a verdade é que fez com calma, arte, classe e sabedoria. Excelente presença na exigente Palha Blanco!

Filipe Martinho, novilheiro praticante da escola taurina da Moita, esteve, também, em plano triunfal. Artístico no capote, seguro nas bandarilhas (dois pares bem cravados) e classe no capote. Foi com crer, classe e talento, além do necessário temple, que Filipe foi crescendo durante a actuação e terminando com elegância. Oportunidade bem aproveitada pelo novilheiro.

Fechou a tarde o novilheiro amador Duarte Silva, da Escola José Falcão, jogando em ‘casa’. Perante olhar e indicações constantes do maestro Vítor Mendes, o jovem foi executante de mais uma boa faena, está tarde, na Palha Blanco. Soube gerir o peso de actuar em tão importante praça e começou logo no capote a mostrar talento, foi implacável nas bandarilhas, merecendo ovação de pé por parte do público e na muleta foi um compêndio cadenciado de arte. Conseguiu boas séries que entusiasmaram o público e que por certo deixaram satisfeito o exigente maestro Mendes. Uma série de ‘rodillas en tierra’ que foi Um espanto! Simulou a espada ‘con la mano’. Tarde de triunfo! Saiu em ombros da Palha Blanco!

Uma tarde de oportunidades e que resultou agradável, apenas com Núncio a destoar. Tomara que todas as corridas com figuras consegradas tivessem tanta qualidade e talento.

Dirigiu a novilhada, João Cantinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.