O Maestro mais antigo do mundo atua em Portugal aos 88 anos no Festival Terras sem Sombra

Alberto Zedda, o maestro mais antigo do mundo, vai actuar em Portugal no dia 2 de Abril, às 21:30, na Igreja Matriz de Santiago Maior, num espectáculo inserido no Festival Terras sem Sombra. Neste espectáculo vai dirigir a peça “Petite Messe Solennelle”,de Gioachino Rossini.

 

 

Alberto Zedda dedica parte do seu tempo à actividade musicológica, realizando edições críticas de óperas, oratórias e cantatas, com particular incidência em Gioacchino Rossini. E é sobre este autor que o maestro vai fazer a sua apresentação.

 

 

No dia 2 de Abril, em Santiago do Cacém, em plena igreja matriz gótico, o maestro Zedda vai apresentar “Petite Messe Solennelle”,de Gioachino Rossini. Esta foi uma das últimas obras de Rossini. Esta surpreendente obra, concebida para dois pianos, um harmónio, um coro de doze cantores e quatro solistas, vai ser interpretada em Santiago do Cacém pela soprano Isabella Gaudi, pela meio-soprano Cecilia Molinari, pelo tenor Sunnyboy Dladl e pelo barítono Pablo Ruiz. A igreja matriz de Santiago Maior, uma obra-prima do Gótico quatrocentista, estreitamente vinculada ao Caminho de Santiago, será palco desta missa que se prevê um espectáculo tocado pela magia.

 

 

Este exemplo de dedicação e motivação apresenta-se no Alentejo, na companhia de quatro notáveis solistas formados na Accademia Rossiniana de Pesaro, a cidade natal de Rossini, e do Coro de Cámara de El Molino. Alberto Zedda desenvolveu uma intensa actividade operística nas principais salas do mundo.

 

 

Alberto Zedda foi director musical do Teatro Scala, de Milão, e é uma das grandes figuras da música internacional,especialmente da ópera. É membro do Comité Editorial da Fondazione Rossini desde os primórdios, foi director do repertório italiano na New York City Opera.

 

 

O maestro de 88 anos vai estar no Festival Terras Sem Sombra. Este Festival acontece em pleno Alentejo e traz ao público alguns eventos culturais que de outra forma não poderiam assistir.

 

 

No dia seguinte à actuação do maestro Alberto Zedda, espectadores e membros da comunidade local, estarão ao serviço da defesa da biodiversidade, na acção “de Santiago do Cacém a Santiago de Compostela-Conhecer, Salvaguardar e Valorizar o caminho português no sudoeste”. Serão percorridos cerca de 5 km até às ruínas do convento franciscano de Nossa Senhora do Loreto, seguindo uma etapa da Rota Vicentina que acompanha o Caminho histórico de Santiago.

 

 

A 2 de Abril pode-se, na igreja de Santiago Maior, ouvir do melhor da música erudita.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.