“O Pato Selvagem” vai ser representado no Centro Cultural de Vila Flor

o pato selvagem

 

 

“O Pato Selvagem”, do autor norueguês Henrik Ibsen, vai subir ao palco do Grande Auditório do Centro Cultural de Vila Flor no dia 23 de Setembro, pelas 21:30.

 

 

Esta peça é uma encenação de Tiago Guedes em em palco um elenco de luxo vai tentar responder a uma pergunta que atormenta a humanidade desde o início dos tempos: vale mais uma verdade que tudo destrói ou uma mentira que dá continuidade a uma vida normal?

 

 

“O Pato Selvagem” é um texto de 1884 e através de uma metáfora, vamos entender como cada uma das personagens sobrevivem a esta verdade com uma condição diminuída, castrados da vida mais próxima da harmonia que poderiam ter tido caso permanecessem na ignorância da mentira.

 

 

Um pato selvagem ao ser ferido com um tiro mergulha na água do lago até ao lodo do fundo e nele espeta o bico segurando-se às algas que lá existem de forma a não voltar mais à superfície, como metáfora para todos os temas que aborda nesta peça. O pato escolhe morrer mas é salvo à força por um cão que o retira do fundo do lago. Desta forma, o pato vai passar a ter uma segunda existência confinada a um sótão de uma habitação.

 

 

“O Pato Selvagem” é um drama em 5 atos que defende a existência de “mentiras necessárias”, ou pelo menos ilusões necessárias para que a humanidade sobreviva.

 

 

Em “O Pato Selvagem” é nos apresentado Gregers Werle, o filho idealista de um empresário corrupto. Gregers decide expor a vida dupla do seu pai mas durante este processo destrói as pessoas que pretendia salvar.

 

 

Gregers força os seus amigos, a família Ekdal, a confrontarem-se com a verdade das suas vidas, só que esta vai servir apenas para os afundar mais.

 

 

O primeiro climax acontece quando o casal Ekdal, Hjalmar e Gina se confrontam com o seu passado. Nessa discussão vai-se revelando progressivamente a incerteza da paternidade da filha de ambos, Hedvig, até que através de uma carta surge a confirmação desse facto. Perante o repúdio do próprio pai, Hedvig decide procurar refúgio no sótão com uma arma. Durante uma conversa, o casal houve o som de um tiro.

 

 

Para além de abordar a mentira, a verdade surge como se fosse uma personagem que vê a luz do dia. Visão e cegueira, idealismo e vulgaridade, verdade e mentira. São estes os temas principais da peça “O Pato Selvagem”. Esta história aborda os conceitos de consciência moral e o fanatismo da verdade, questões morais de grande importância.

 

 

Os bilhetes para este espectáculo podem ser adquiridos no Centro Cultural Vila Flor, da Plataforma das Artes e da Criatividade e da Casa da Memória de Guimarães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.