O Projecto P! vai celebrar os 100 anos da conferência futurista

Projecto P

 

Os 100 anos da conferência futurista vão ser comemorados no dia 14 de Abril com um conjunto de actividades que se vão se focar em alguns dos principais pontos culturais e vão relembrar o gesto de Almada Negreiros que visto como um dos fundadores da geração Orfeu e do qual fizeram parte alguns dos maiores nomes da cultura portuguesa do início do século XX.

 

 

Depois da conferência futurista, só nos anos 60/70, as artes plásticas, a música e a poesia experimentais participam no processo revolucionário do 25 de Abril com acções e happenings. Subsequente à entrada de Portugal na Comunidade Europeia, a partir dos anos 90, a performance manifesta-se no teatro e na dança, num período de vitalidade que enfraqueceria aos primeiros sinais da crise financeira mundial de 2008. Posto que ocorre em momentos de mudança política, é possível rever o “intervalo” através da participação da performance arte na esfera pública. 

 

 

O Projecto P! vai apresentar um programa de pensamento crítico e de curadoria de performance arte, questionando as suas formas de participação na esfera pública, em três vertentes: uma publicação, conferências e programação de espectáculos que poderão ser vistos de 10 a 14 de Abril.

 

 

No dia 10 de Abril, na Fundação Calouste Gulbenkian vai haver das 10:00 às 13:00 uma Conferência internacional em torno da questão: “pode a performance arte participar, construir e reconfigurar a esfera pública?”. Esta conferência vai ter como oradores convidados: Jen Harvie: “Housing Crisis” (conferência em inglês), Christine Greiner: “Microativismos de Afectos” ou Idalina Conde: “1917-2017 de Almada Negreiros a Hoje: que Olhar para a Europa?”.

 

 

Jen Harvie, Christine Greiner e Idalina Conde vão moderar três sessões de debate cujos temas serão votados na hora pelos participantes. Neste formato pouco convencional, público e oradores poderão ter um espaço de participação autogerido que nos parece vital para a intensificar a relação entre investigadores e criadores, bem como para estimular a intervenção do público.

 

 

Às 18:30 vai ser lançado o livro “Performance na Esfera Pública”, com edição da Orfeu Negro e que será seguida de uma conferência que ficará a cargo de Rebecca Schneider e será seguida de um beberete.

 

 

No dia seguinte, a 11 de Abril, às 18:30, a Casa Fernando Pessoa vai receber um Debate sobre a conferência futurista com as participações de Sandra Guerreiro Dias, Fernando Rosa Dias, Mariana Pinto dos Santos, Sílvia Laureano Costa. 

 

 

Das 19:00 às 20:30 (voltando a repetir no mesmo horário nos dias 12 e 13 de Abril) o Teatro Municipal São Luiz vai receber “Partituras para o Corpo, o Edifício e a Alma”, do músico conceptual David Helbich. Estes guiões foram criados de propósito para este momento e foram publicados no livro “Performance Arte e Esfera Pública”. Cada performance interpela não só o espaço arquitectónico do teatro mas também a história da performance arte tendo por protagonista o espectador, cuja experiência está no centro da proposta estética. Às 21:30 o Pólo Cultural das Gaivotas recebe o debate “O Público e o Privado”, dinamizado pela artista Susana Mendes Silva, pelo Festival Condomínio (curadoras) e Susana Chioca (artista e curadora).

 

 

O Museu Nacional de Arte Contemporânea, Museu do Chiado, vai receber nos dias 12 e 13 de Abril das 13:00 às 18:00 uma performance de Kata Kóvacs e Tom O’Doherty que nesta performance combinam o minimalismo, electroacústica, movimento e vídeo e executam uma série acções simples em dois tambores, gravando os sons e reproduzindo-os no espaço da performance. Vão alternando entre a adição de novos sons e a escuta. Uma vez que a gravação de cada nova acção é realizada simultaneamente com a reprodução das precedentes, daqui resulta a sedimentação de um agregado cada vez mais denso de sons, em que as camadas mais antigas são as que mais sofreram as transformações operadas pela acústica do lugar em cada momento de gravação, fazendo referência ao trabalho de Alvin Lucier “I am sitting in a room” e apelando a uma observação dos sistemas de gravação e reprodução como à imersão no mundo acústico, onde se inclui a própria presença do público. Nelas se juntam questões e crenças espaço-temporais, aqui habitadas pela poesia de vestígios acústicos, fragmentos rítmicos e feedback. 

 

 

Pelas 19:00, no Museu Nacional de Arte Contemporânea, será apresentada “Reacting to Time – Portugueses na Performance”, projecto de Vânia Rovisco com Fernando Aguiar e a colaboração de Bruno Humberto. Vânia Rovisco entre os dias 06 e 10 de Abril, das 19:00 às 23:00, vai leccionar o Workshop Transmissão X no Pólo Cultural das Gaivotas. No mesmo local, pelas 21:30, vai ser realizado o debate “Performance Arte e Memória” e terá como dinamizadora Cláudia Madeira (investigadora) e Fernando Aguiar (artista), Ana Dinger (investigadora) e Clara Meneres (artista) como participantes.

 

 

No dia seguinte, pelas 15:00, o Pólo Cultural das Gaivotas vai receber o debate “Intervenção e Ética” e terá como participantes Pablo Alvez Artinprocess (artista e investigador), Mário Caeiro (investigador e curador) e Joana Craveiro (artista).

 

 

A 14 de Abril, às 17:00, o Teatro Municipal São Luiz vão ser celebrados os 100 anos da conferência futurista de Almada Negreiros. 100 anos depois do jovem Almada ter ocupado o palco do Teatro República (actual São Luiz) para ler o seu “Ultimatum às gerações futuristas do século XX”, entre outros manifestos, vários espaços do mesmo teatro serão ocupados por 14 artistas de diferentes gerações e de diversas disciplinas artísticas (artes visuais, poesia, dança, música e teatro), que voltam com a conferência futurista. Os artistas confirmados para esta conferência são: Américo Rodrigues, Ana Borralho & João Galante, António Olaio, Beatriz Brás & Sérgio Coragem, Diana Combo, Fernando Aguiar, Homeostécticos, Manoel Barbosa, Marta Bernardes, Nova Orquestra Futurista do Porto, Pogo Teatro, Raquel André, Sónia Baptista, Margarida Chambel & Nuno Oliveira.

 

 

Também no Teatro Municipal São Luiz, às 22:30, vai acontecer a Festa-futurista-e-tudo onde vai haver uma surpresa culinária futurista pelo chef Joaquim de Sousa, cocktails futuristas e Djs futuristas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.