O toureio a pé foi protagonista: Juan José Padilla, Juan Serrano e Manuel Dias Gomes brilham em mais uma corrida “Flash”

padilla

 

Numa noite dedicada ao toureio a pé, Juan José Padilla, Juan Serrano e Manuel Dias Gomes, brilharam numa grande corrida de touros. 

 

 

Em mais uma edição da extraordinária Corrida “Flash”, os aficionados presentes foram brindados com actuações elegantes e que a todos agradaram. 

 

 

Numa noite dedicada ao toureio a pé -tradição que remonta a finais do século XVII, quando a população espanhola começou a tourear touros a pé em jeito de protesto contra o então Rei Filipe V, que desaprovava esta prática secular-  a arena do Campo Pequeno encheu-se de duas estrelas mundiais e de uma outra em ascensão. 

 finito-de-cordoba

 

A abrir as hostilidades, Juan Serrano, conhecido entre os apaixonados pela festa taurina como “Finito de Córdoba”, foi o primeiro a receber o touro em praça. Numa actuação pautada pela subtileza e enorme elegância, “Finito de Córdoba”, que comemora esta época 25 anos de alternativa, correspondeu e agradou o exigente público que marcou presença nesta noite. Na senda daquilo que protagonizou nesta mesma praça durante o mês de Fevereiro, este matador revelou mestria na hora de manobrar a sua “muleta” e demonstrou uma manifesta coordenação com todos os seus bandarilheiros. Tal e qual como da primeira vez, o público quis retribuir esta magnífica lide e brindou Juan Serrano com uma ovação merecida. 

 manuel-dias-gomes

 

De uma estrela para outra, Manuel Dias Gomes, matador português com “ADN tauromáquico”, fez jus aos elogios que tem recebido nas mais recentes actuações. Com apenas um ano de alternativa -tirada a 30 de Maio de 2015, em França – este jovem matador fez questão de presentear os espectadores com uma lide que promete voos ainda mais altos.  

 

 

Com uma postura calma e serena, soube enquadrar o touro nos melhores terrenos e teve a astúcia necessária para arriscar nos momentos certos. Este que é visto como um “filho da casa”, saiu de praça mas não sem receber uma calorosa ovação. 

 

 

Por último, Juan José Padilla. Nesta que foi a melhor “performance” da noite, o “torero” de Jeréz de la Frontera, cedo cativou a atenção de todos os presentes. Ao receber ambos os touros em praça de joelhos, Padilla revelou a mestria necessária na arte de dominar o touro.  

 

 

O matador, que actuou no Campo Pequeno a 14 de Julho, revelou-se sublime e apaixonante em todos os momentos da sua lide. No “tércio de bandarilhas”, agigantou-se perante o touro e alcançou uma destemida actuação que a todos encantou.  

 

 

Mais tarde, no “tercio de muerte” manejou a “muleta” de forma arrojada e criativa para gáudio dos aficionados que marcaram presença nesta noite. Um pouco em homenagem à tradição espanhola (e também, aos presentes), quando se preparava para cravar o último ferro, atirou-o para seu lado, finalizando o seu gesto com uma pequena “estocada” de mão no cachaço do touro, levantando-a de seguida e mostrando aos presentes a sua mão coberta de sangue. 

 

 

Naquela que foi a melhor lide da noite, Juan José Padilla, foi ovacionado de pé pela praça inteira e em agradecimento ao público presente não se coibiu de dar a volta à praça por si mesmo. 

 

 

Numa vibrante corrida de touros, os matadores não foram os únicos a “comparecer”. Do outro lado, fez questão de marcar presença um público exigente que sabia quando corrigir e quando aplaudir, dando um brilho especial a esta magnífica noite de touros no Campo Pequeno. 

 

 

Nota ainda, para o desempenho dos touros em praça. Provenientes da Ganadaria de Manuel Veiga, estes imponentes e bonitos animais, contribuíram para as fantásticas actuações de todos os intervenientes. 

 

Fotografia: Campo Pequeno (Facebook Oficial)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.