Opinião: André Vaz apresenta o seu “Fado” em disco

Casino Lisboa recebe André Vaz

 

“Fado” é o disco de estreia de André Vaz e é composto por 11 temas. Este já pode ser ouvido nas plataformas digitais. Este trabalho resulta de uma pesquisa intensa do próprio artista e reúne num só registo um espólio imenso de gravações de fado nunca antes recriados, o que os fazem destacar dos poemas populares inalterados. Dos fados interpretados neste álbum destacam-se:

 

 

“Não vale a pena” é o primeiro tema do álbum “Fado”. A voz grave e personalizada do fadista assemelha-se à de António Pinto Bastos. Esta canção fala sobre um amor, uma relação que ainda persiste mesmo não tendo o vigor de antes. Dessa forma não vale a pena.

 

 

“Maria da Madragoa” é um fado castiço, engraçado, que fala sobre a graça das Marias Lisboetas, bonecas engraçadas que deixam quem passa por elas de boca aberta. As guitarras portuguesas são o acompanhamento ideal para a voz de André Vaz.

 

 

“Longe de Ti” fala sobre um amor que está longe e de como a ausência do ser amado deixa o nosso mundo de pernas para o ar, sem alegria nem cor. A saudade, aquele sentimento tão português, é a palavra-chave deste fado apaixonante.

 

 

“Depressa, vem depressa” é um fado bucólico e profundo. Um tema só e forte, forte como as marés do mar profundo. O cantor lança um pedido rouco para que o seu objecto amado venha ter com ele, que acabe com aquela espera depressa.

 

 

“A moldura dos meus olhos” e “A última carta” são dois fados alegres, em oposto aos anteriores. André Vaz canta o seu destino e este é traçado pelos acordes da guitarra portuguesa.

 

 

Estes são alguns dos fados que podem ser escutados em “Fado”, de André Vaz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.