Opinião: “Double or Nothing” de Frankie Chavez

frankie

 

Três anos depois de “Heart & Spine” (2014), Frankie Chavez está de volta com um novo álbum composto por um conjunto de canções que são influenciadas por aquilo que o rodeiam. “Double or Nothing” é composto por 10 temas com alguns “travos” psicadélicos que influenciam as canções que podem ser ouvidas neste disco.

 

 

“Double or Nothing” inicia-se com “My Religion”. Esta música tem um estilo algo semelhante ao da MPA (música popular americana) com uma guitarra que introduz um estilo roqueiro porém descontraído, bem ao estilo de Frankie Chavez. Esta canção é uma homenagem às filhas gémeas do cantor,

 

 

Segue-se “Save”. Esta canção é introduzida por uma boa base instrumental que antecede a entrada da voz rouca e sempre agradável de ouvir de Frankie. Esta é uma música que fala sobre o melhor que cada um de nós pode fazer para “salvar” as suas respectivas relações, independentemente de que com quem quer que seja.

 

 

O terceiro tema deste álbum é “Whatever Happend to our love”. Aqui a bateria e uma batida que nos faz bater o pé é que marca o ritmo. Um ritmo roqueiro de voz rouca e de guitarra debaixo do braço, bem ao estilo dos anos 70/80.

 

 

“Time for change” é uma canção mais calma e profunda. O baixo dá a profundidade necessária, enquanto a voz de Frankie Chavez é área, parecendo transitar entre as notas sem o mínimo problema ou pudor.

 

 

“Strong enough to pray” apela para uma religiosidade perdida, para uma liberdade esquecida. Esta canção vale pela sua letra poética e pela melodia calma que nos faz relaxar. Se fosse fazer um videoclipe da mesma, gravaria uma viagem de carro onde a câmara capta-se a mudança da paisagem enquanto as rodas de um automóvel cruzam o asfalto. É isto que me faz pensar quando escuto esta música.

 

 

“Getaway” leva-nos a um estilo bem roqueiro, ao mesmo tempo pesado e divertido. É uma música que nos leva a sair pela porta e a querer conquistar o mundo, aconteça o que acontecer. Aqui a banda assume quase tanta importância como a voz do vocalista.

 

 

“Move On” é uma música que nos faz libertar o nosso espírito, que nos faz querer seguir em frente, tal como podemos escutar na letra. Esta canção a meio da mesma atinge o seu máximo potencial musical.

 

 

“Sliding Donnie” traz novamente profundidade a este disco. Uma profundidade que é conseguida através de notas mais graves e alguns arranjos musicais conseguidos com os pratos da bateria. Os diferentes instrumentos da banda voltam aqui a assumir um papel importantíssimo em toda a composição musical apresentada.

 

 

“Double or Nothing” é o tema que dá título a este disco. Esta é uma canção que apela para a nossa consciência enquanto seres-humanos. É como se o cantor estivesse directamente a falar connosco, a cantar-nos ao ouvido no seu habitual estilo descontraído.

 

 

Este álbum finaliza com “By the Banks of This Old River”. Esta é uma canção bem ao estilo folk que faz descansar os nossos corações. Aqui o rock dá lugar a outras influências musicais mas a voz continua a ser inconfundível e carinhosa no cantar, como Frankie Chavez tem vindo a nos habituar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.