Pedro Alves Duarte cria o Guitolão Eléctrico

 

 

O Guitolão Eléctrico acaba de ser apresentado pelo guitarrista e compositor Pedro Alves Duarte, “um inovador instrumento que transforma o guitolão acústico num instrumento eléctrico multifacetado, com a escala ainda maior que o primeiro e com enorme versatilidade para todos os géneros musicais actuais”, refere em comunicado.

No mesmo comunicado, relembra-se que “dezoito anos depois da invenção de Grácio, Pedro Alves Duarte inventa o guitolão eléctrico, um instrumento que inova de forma muito significativa o guitolão acústico, transformando-o num instrumento puramente eléctrico. A escala de 4 oitavas, é ainda mais extensa do que a do guitolão acústico e possui uma enorme versatilidade e potencial para todos os géneros musicais actuais”.

Explica ainda que “o guitolão eléctrico, ou guitarra portuguesa barítono eléctrica, é um instrumento único, com uma paleta de sons inédita e faz a união do timbre tradicional português da guitarra portuguesa, com o característico suster de notas superior e energia pujante da guitarra eléctrica. O instrumento possibilita um vasto leque de aplicações que vão desde a música pop, ao jazz, rock, fusão e inclusivamente ao fado moderno”.

Informa ainda que “a estabilidade do novo sistema de afinação, também desenvolvido por Pedro Alves Duarte, permite ao instrumento ser usado em afinações diversas para obtenção de resultados criativos autênticos. Este instrumento pode ser acoplado a qualquer sistema de cadeia de efeitos de sinal e amplificadores, tornando-se num instrumento ainda mais versátil do que a guitarra eléctrica. O guitolão elétrico possibilita a utilização da técnica dedilhada tradicional e técnicas associadas à música moderna e fusão tais como harpejos, “tapping” de mão direita, técnicas de alavanca, legatos, inclusivamente alterações de altura de nota (“bendings”) e aproveitamento de microfonia (“feedback”)” além de que “a sua construção e estabilidade permite transportar as possibilidades criativas para o mundo digital. Este instrumento será usado nos próximos trabalhos originais de Pedro Alves Duarte, sobre o nome artístico Kilindu que une vários estilos ao fado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.