WHY Portugal: Experiência portuguesa no Reeperbahn Festival 2016

Why Portugal

 

A WHY Portugal levou quatro artistas portugueses ao Reeperbahn Festival, na Alemanha. Os escolhidos foram First Breath After Coma, Neev, Surma e We Bless This Mess encheram o Pooca Bar que no dia 22 de Setembro,o Pooca Bar, num showcase que fazia parte da programação de uma das maiores feiras e festivais profissionais de música na Europa. A comitiva portuguesa representou em Hamburgo os novos talentos da música portuguesa.

 

 

A presença neste festival fez com que os projectos envolvidos pudessem iniciar contactos com agências de booking em outros países europeus para poderem iniciar uma carreira internacional.

 

 

A missão no Reeperbahn Festival foi, nas palavras de Hugo Ferreira, representante de Surma e First Breath After Coma,” uma daquelas experiências que ficam e que marcam. Foi muito importante ter o envolvimento de um PR local e os contactos e promoções localizadas que se foram estabelecendo antes do evento acabaram por ser determinantes para que a sala onde os projectos portugueses se apresentaram ao vivo estivesse completamente à pinha e com fila na entrada”.

 

 

“As perspectivas são boas mas não nos podemos deslumbrar e temos que ter noção de que os follow ups e o crescente investimento são decisivos para que a estratégia de internacionalização possa ser sustentada e venha a trazer resultados”, finaliza Hugo Ferreira sobre a experiência portuguesa no Reeperbahn Festival.

 

 

Os First Breath After Coma têm cinco concertos marcados em diferentes cidades alemãs, como resultado direto da participação no Reeperbahn Festival. Os concertos acontecem no dia 17 de Outubro em Reutlingen (Kultulzentrum Franz k.),18 de Outubro em Hannover (Café Glocksee), 19 de Outubro em Krefeld (Kulturrampe), 20 de Outubro em Berlim (Monarch) e 22 de Outubro em Kassel (Schlachthof).

 

 

A banda comenta os resultados obtidos no festival: ” foi muito gratificante ter recebido contactos de agências e de algumas salas logo no dia seguinte ao concerto. Ter conseguido entrar no mercado alemão com uma tour de várias datas (…) é sinal de que vale a pena acreditar naquilo que fazemos”.

 

 

Falando nos resultados e estratégia apresentada pela comitiva portuguesa, Nélson Reis do We Bless This Mess,afirmou que sentiu “que houve bastante interesse na noite de showcases portugueses. Teve casa cheia no Pocca Bar e todas as bandas tiveram uma performance mesmo boa. No resto do festival o nosso objetivo era fazer com que a indústria da música portuguesa fosse ouvida nas pro-meetings”.

 

 

Esta missão aponta para um futuro promissor das bandas portuguesas e da plataforma WHY Portugal no contexto pré-Eurosonic Country Focus em 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.