Rádio Amália: Concerto Primavera levou elevada qualidade fadista ao Casino Lisboa

concerto primavera

 

 

A Rádio Amália deu ontem as boas-vindas à Primavera com um concerto no Auditório dos Oceanos no Casino Lisboa.

 

 

O Concerto Primavera da Rádio Amália levou ao palco do Auditório dos Oceanos oito fadistas de registos, estilos e timbres totalmente distintos. Um cartaz ecléctico que contou com: Francisca Gomes, António Vasco Moraes, Joana Rios, Pedro Galveias, Conceição Ribeiro, Miguel Ramos, Tânia Oleiro e Carlos Leitão, acompanhados por Guilherme Banza na guitarra portuguesa, Rogério Ferreira na viola de fado e Francisco Gaspar no baixo, que estiveram também em grande nível.

 

 

Francisca Gomes teve a responsabilidade de abrir o espectáculo e esteve nervosa na interpretação do Fado Menor (A estrela que me guia), tendo uma postura ligeiramente superior na interpretação de “Rua do Capelão” e “Foi Deus”. A jovem que venceu o FestFado em 2016 demonstra potencial vocal, necessitando contudo de melhorar alguns aspectos no seu canto. Continuando a trabalhar e progredir tem um longo e bonito caminho pela frente.

 

 

António Vasco Moraes voltou a mostrar que qualidade interpretativa nos três temas que interpretou. Notou-se ligeiro nervosismo inicial mas que rapidamente desapareceu, vindo ao de cima todo o potencial da sua voz.

 

 

Joana Rios conseguiu das melhores prestações da noite. “Fado de Cada Um”, “Se Tu fosses Lisboa” e “Não era um tempo de fado” mostraram uma fadista a dominar todos os momentos da sua actuação, com uma voz que soube modelar com correcção tanto no prolongamento como ataque às notas. A linguagem corporal esteve de acordo com as mensagens dos poemas e soube interagir q.b com o público, demonstrando a sua continua evolução. Com mais concertos, Joana Rios tornar-se-á um animal de palco.

 

 

Pedro Galveias foi o responsável pela primeira verdadeira explosão de aplausos do público. Tem carisma, uma voz grave e cheia de alma e soube puxar o público para a sua actuação. Extremamente seguro em palco foi das melhores actuações da noite. “Da janela do meu quarto” e “um dia contigo”, integraram o repertório desta noite.

 

 

Conceição Ribeiro foi um furacão à solta em palco. Sabe como chegar ao público, tem um vozeirão de outro mundo e sente o fado e aquilo que canta como poucos. Mesmo notando-se que não estava nas melhores condições em termos de voz, esteve muitíssimo bem nos três temas que interpretou e onde colocou público e músicos de mãos no ar, a cantarem e a aplaudirem.

 

 

Miguel Ramos é um caso de talento nato para o fado. Sabe como comunicar com o público, tem uma presença em palco de qualidade e em termos vocais consegue atingir momentos sublimes. “Aqui na Alma”, “Sabe Deus” e “A vizinha da Frente” mostraram o que consegue fazer, e é muito. Tem em si o tradicional bairrismo fadista numa versão contemporânea. Consigo viajamos por alguma da história do fado.

 

 

Tânia Oleiro foi ao Casino Lisboa apresentar alguns temas do seu primeiro e recente disco, “Terços de Fado” com interpretações arrepiantes, poderosas e muito bem conseguidas. Das melhores actuações numa noite em que a qualidade foi elevada.

 

 

Carlos Leitão encerrou com chave de ouro a noite. O seu aparelho vocal permite-lhe interpretar o que quiser com aparente facilidade, a mesma com chega e arrebata o público. A sua voz encheu por completo o Auditório. Realce ainda para o espaço que deu aos músicos para estes brilharem.

 

 

Foi uma noite familiar, acolhedora e ao som de fado. O som comparativamente ao ano anterior teve uma grande melhoria. O auditório não esgotou, tendo contudo apresentado boa moldura humana.

 

 

Antes do espectáculo, o Infocul falou com o director da Rádio Amália, José Augusto Madaleno. “A ideia de trazer a rádio para fora porquê? Porque cada vez mais as pessoas estão a abandonar a rádio tal como estão a deixar de ler jornais, estando a virar o foco para a televisão. E é importante que a Rádio se comece a mostrar porque a rádio por si já não consegue furar pelos ouvintes, então a rádio teve que arranjar várias formas de sair, porque o marketing e publicidade por si só não chegam, então o que teve que começar a acontecer? As rádios  tiveram que começar a sair, apoiando grandes eventos e elas próprias realizando grandes eventos”, começa por nos dizer sobre a ideia de trazer os locutores para junto do público, efectuando estes concertos com artistas de reconhecido valor, antes de acrescentar que o objectivo é “trazer o fado para a rua, não o colocando apenas na rádio, trazendo os animadores, locutores, e mostrar-nos como somos, quem somos e depois mostrar também os fadistas que nos acompanham no dia-a-dia”.

 

 

Sobre o critério que utilizou para a montagem deste elenco, disse-nos que “eu tenho que pensar que tenho quatro concertos para realizar ao longo do ano, e aconteceu que, dois fadistas estão com apoio Rádio Amália nos seus discos que é a Joana Rios e o Miguel Ramos, temos o Carlos Leitão com um trabalho novo, a Tânia Oleiro também tem um trabalho novo, depois fui buscar a revelação Francisca Gomes que está agora a começar no fado, há muito por fazer, mas acho que vai ter um percurso bom no fado e um bom futuro. Depois temos a Conceição Ribeiro, que não vale a pena falar porque toda a gente sabe o monstro que ela é em palco. Há também o Pedro Galveias que tem novo disco e com o apoio da Rádio Amália. Estes foram os critérios. Para o próximos serão outros”.

 

 

José Madaleno revelou também que o segundo espectáculo deste ano da Rádio Amália “acontece a 28 de Maio, domingo à tarde, e a partir de agora todos os concertos da Rádio Amália passam para domingo à tarde. Portanto, o próximo espectáculo são “Os Fados a Nossa Senhora” que é uma reedição, no Salão Paroquial da Igreja de São João de Brito e o cabeça de cartaz será Gonçalo Salgueiro”. No final do espectáculo, na promo que foi ouvida no Auditório, confirmaram-se mais nomes para este espectáculo: Rui Vaz, Maria do Sameiro, entre outros que serão revelados em breve.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6262 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.