Retrospectiva: As Sete Maravilhas dos Concertos em 2019

Como já nos encontramos numa fase de transição para a nova década, esta é, sem sombra de dúvidas, a melhor altura para listar os melhores concertos deste ano.

Muitas novidades subiram aos palcos Portugueses, muitas vezes surpreendendo pela sua magnitude e talento.

Sem ordem em específico, nomeei os seguintes espectáculos como As Sete Maravilhas dos Concertos de 2019.

Miguel Ramos – Santa Casa Alfama

A sua primeira actuação no festival no bairro alfacinha foi uma grande surpresa para todos os que estavam presentes. Tanto a sua voz como a sua expressividade eram poderosíssimas, embalando o público na Igreja de São Miguel. Numa acústica esplêndida, o Fadista interpretou temas como “Dona do meu pensamento” , “Mãos Abertas“ e “Aqui na Alma”. O local permitiu ao público um melhor entendimento da origem religiosa do estilo musical e uma acústica única, tornando o espectáculo numa agradável experiência.

Ed Sheeran – Estádio da Luz

Este concerto fez história, não só pelo talento do artista, mas também por ter quebrado um recorde: o artista inglês reuniu a maior audiência em solo Português com os eventos da sua autoria, fazendo um total de 120 mil expectadores (divididos por duas datas esgotadas no Estádio da Luz).

Como complemento ao espectáculo, Bem Keller, Zara Larsson e James Bay atuaram no início do concerto, preparando o espectador para uma noite memorável.

Sozinho, com uma guitarra na mão, e com um pedal nos pés, o músico fez o solo Benfiquista tremer. Estas duas datas irão ser para sempre relembradas pelas cantigas de amor, pedidos de casamento e pela euforia dos fãs mais fanáticos.

Eddie Vedder – Altice Arena

Neste concerto de tudo se fez um pouco: abriram-se garrafas de vinho, foram cantados os parabéns e foram discutidos assuntos como a pena de morte e a sanidade mental. Num palco decorado como uma sala de estar, o norte-americano permitiu um ambiente de tranquilidade e conforto ao público, como se todos estivessem num grande convívio, numa sala a abarrotar de gente. Apesar de não existir um álbum novo, o artista arriscou ao fazer uma digressão. Esta teve muita aderência pelos fãs da banda Pearl Jam, já que muitos hinos da banda foram tocados.

Mesmo não tendo cantado muitos temas próprios, o concerto foi memorável.

Carminho – Coliseu dos Recreios

Esta fadista apresentou o seu trabalho “Maria” ao público alfacinha, que durou “2 sufocante anos” a ficar preparado. Apesar de a visibilidade não ter sido a melhor, foi possível escutar todo o espectáculo, interpretando as entre linhas e compreendendo a vida de “Maria”, intensificada pelo talento e poder da fadista. “Mas eu não sou a única Maria que aqui está. (…) Esta é a vossa história. A história dos homens repete-se. E por isso, esta é uma viagem, não nos vossos fados, mas dentro da nossa história. Boa viagem“. Esta mensagem foi deixada pela fadista, tornando a experiência mais personalizada e apreciável para os seus ouvintes.

Backstreet Boys – Altice Arena

A primeira paragem da banda na sua digressão, após longos anos nos quais residênciavam em Las Vegas, foi no solo Português.

Num espectáculo onde tudo foi uma grande surpresa, os fãs Portugueses da boyband Americana puderam assistir, em primeira mão, um espectáculo com uma produção imensa, onde os passos de dança e as músicas “a capella” não faltaram.

Como em qualquer banda pop dos anos 90, foi óbvia a presença de canções que todos conhecem, o que permitiu, mesmo a quem não os acompanhou de raiz, cantarolar essas músicas intemporais.

Luís Severo – Super Bock Em Stock (Teatro Tivoli BBVA)

Com guitarra eléctrica ou teclado, Severo apaixonou o público do Tivoli BBVA.

Num curto espaço de tempo, o músico conseguiu integrar diferentes estados de espírito através da melodia e lírica das suas canções. O cantor destaca-se não só pelas suas habilidades com os instrumentos, mas também pela sua vocalidade. Apesar da sua diferente musicalidade em relação ao que é mainstream, o tema do amor e paixão é cantado e sentido pelo público no decurso do espectáculo.

Slow J – Super Bock Em Stock (Coliseu dos Recreios)

Num concerto onde a juventude se encontrou muito presente, João Coelho conseguiu encontrar um equilíbrio perfeito entre o Hip-Hop Português e o seu estilo pessoal.

Num concerto surpreendente, onde estiveram incluídos o Pappilon e a melodia de uma guitarra Portuguesa, todo o público acompanhava o músico com paixão pelas palavras cantadas.

Apesar de o estilo musical geralmente não agradar a todos, este concerto ofereceu arte que consegue ser apreciada por muitos, até por aqueles que mais se afastam mais da linguagem subcultural.

Mariana Nave

Em Fevereiro de 2019, começou a trabalhar com o projecto Infocul.pt, sendo este também o primeiro projecto com que colabora. Apesar de ainda não ter um longo percurso, continua a trabalhar sempre com o objectivo de melhorar as suas capacidades no ramo da comunicação social.

Mariana Nave has 30 posts and counting. See all posts by Mariana Nave

Mariana Nave

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.