Rock in Rio Lisboa: Roberta Medina diz que “quando você oferece a qualidade ao nível da infra-estrutura então você abre a porta para falar com outro tipo de público”

 

 

 

Num sábado escaldante, de altas temperaturas, teve início mais uma edição do Rock in Rio Lisboa. Num momento informal no stand da EDP, o Infocul conversou com Roberta Medina, directora do Rock in Rio Lisboa, sobre as novidades deste ano e ainda sobre os espectáculos mais aguardados pela responsável do evento.

 

 

Decidimos criar uma direcção no sentido de um grande parque temático da música, aumentar o volume de conteúdos, e quando a gente vai para divertir não vai apenas ver uma coisa não é? A gente vai cedo para aproveitar o máximo de atracções que ele tem para oferecer”, esclarece quando questionada sobre algumas alterações, como a diminuição do número de dias do certame em contraponto com o aumento do número de horas de animação diárias.

 

 

Sobre a abrangência, cada vez maior, nos targets do público, começa por nos referir que “quando você oferece a qualidade ao nível da infra-estrutura então você abre a porta para falar com outro tipo de público”, recordando que “toda a programação dos conteúdos tem que responder também nesse intenção, que nasceu em 1985 com a primeira edição do Rock in Rio” e estabelecendo as diferenças entre a primeira edição de sempre, no Brasil, e esta, em Lisboa: “Ali a gente tinha a infra-estrutura e depois tínhamos o line-up variado em termos musicais. O que é que a gente faz hoje? Hoje, a nossa experiência de entretenimento, por vezes vocês está vendo um filme, tá comendo pipoca, tá comendo uma outra coisa e está vendo outra coisa no Ipad, nós somos cada vez mais múltiplos… E essa a vontade e materialização que a cidade do rock faz, estando atento ao que o consumidor gosta”.

 

 

Um dos maiores destaques do Rock in Rio este ano é a vasta oferta na componente gastronómica, sobre a qual Roberta Medina diz “o caso da gastronomia que você mencionou, é parte muito importante de qualquer evento de entretenimento e lazer, mas muitas vezes é ela a própria experiência final. Quando você vai num restaurante é só comer? Não. Tem que ser bonito, tem que ter boa música, o garçon tem que estar bem apresentado, a montagem da mesa… É uma experiência! É disso que o consumidor está atrás, das experiências”.

 

 

 

Sobre o cartaz musical, começámos por questionar sobre a presença, novamente, de Ivete Sangalo e Xutos & Pontapés, à qual Roberta Medina respondeu “se você observar todas as edições do Rock in Rio, você tem dois shows que fazem, invariavelmente a plateia ir ao delírio: Ivete Sangalo e Xutos & Pontapés” e deixando-nos um desafio, “eu desafio-te a fazer essa experiência: fica atento aos espectáculos e diz-me quais são os espectáculos, na reacção da plateia, mais poderosos. Eu garanto que no Top 5 estão esses dois”.

 

 

Já sobre os espectáculos pelos quais tem maior expectativa, enumerou vários: “Sou suspeita porque estou louca por ver Bruno Mars, porque é muito envolvente. Não só ele é um grande showman como as músicas são fenomenais. Mas a magia da forma como eles constroem o espectáculo, o charme dos artistas. O show da Katy Perry, que é o show de maior produção que vai passar por aqui, em termos de espectáculo, de efeitos especiais, de figurinos, e eu acho que isso faz parte do show business. E como eu tenho falado, Xutos & Pontapés porque vai ser super emocionante”.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 24/06/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

_