Numa tarde solarenga e de verão, a Praça de Touros de Coruche recebeu uma corrida de touros à portuguesa com o cartel a ser composto por Luís Rouxinol, Marcos Bastinhas e João Telles Jr. Forcados Amadores de Coruche a pegar em solitário um curro de touros de Branco Núncio.

 

Depois das cortesias e antes de se dar início às lides, foi executada uma ‘singela’ homenagem pelos gestores da praça, por ocasião da celebração dos 50 anos de existência da Praça de Touros de Coruche.

 

Luís Rouxinol perante o primeiro touro da corrida andou a gosto e fazendo o público gostar. Bregou com temple, soube interpretar todos os tempos da lide, escolheu bem os terrenos, destacando-se a cravagem do segundo e terceiro curto. Terminou com um bom par de bandarilhas, uma lide francamente positiva. A segunda lide de Rouxinol foi com a habitual elevação que esperamos deste cavaleiro. A fasquia é alta e Rouxinol correspondeu. Brega ladeada, bom entendimento do oponente fazendo sobressair as qualidades do touro, ferros de boa nota e culminando com um violino e um palmito também em sorte de violino, quando a lide estava já numa bitola alta.

 

Marcos Bastinhas teve uma lide irregular, destacando-se apenas pelo labor, perseverança e habitual postura efusiva. Uma lide longe do seu real valor. Resultado disso, não lhe foi autorizada volta, em sinal de prémio, pelo director de corrida. Tudo mudou no segundo do seu lote. Após um comprido de má nota, Bastinhas veio a cima com um toureio alegre, uma brega vistosa e de raça e sacando o que o touro não tinha, muito complicado este astado, e cravando ferros de boa nota colocando o público em êxtase. Terminou com um palmito e um par de bandarilhas de boa nota. Esteve mal apenas ao dar a segunda volta arena, quando, após uma primeira, o director de corrida apenas tinha autorizado ao forcado.

 

João Ribeiro Telles teve uma lide em tom crescente. O cavaleiro da Torrinha consegue aliar o bom entendimento que conseguiu das capacidades do oponente e a partir daí desenvolver uma lide ligada, com boa brega e ferros de boa nota, contando com o público do seu lado. Foi perante euforia do público que terminou a segunda lide de Telles Jr. A mesma, embora meritória e de valor, não foi de excelência. Bons ferros, uma noção dos terrenos que lhe permitiam algum luzimento mas nada de transcendente.

 

Pelos Amadores de Coruche pegaram José Tomás (primeira tentativa), João Prates (segunda tentativa, mas na qual chegou a estar fora da cara do touro), Miguel Ribeiro Lopes ( primeira tentativa, naquela que foi a sua despedida das arenas), Miguel Raposo (segunda tentativa), Fábio Casinhas (à primeira tentativa, numa pega de raça, valor e valentia) e António Tomás (primeira tentativa).

 

A corrida foi dirigida por João Cantinho, assessorado por José Luís Cruz. Destaque para a boa entrada de público, preenchendo três quartos fortes de casa.

 

 

Fotografia: Toureio.pt

Galeria completa de fotografias, AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.