A Praça de Touros Palha Blanco recebeu esta terça-feira a última corrida de touros da Feira Taurina 2020.

Em praça, e para enfrentar touros da ganadaria Palha, estiveram os cavaleiros Luís Rouxinol, Francisco Palha e António Prates e os Forcados Amadores de Vila Franca de Xira.

Luís Rouxinol enfrentou um manso sem investida e que obrigou o cavaleiro a porfiar bastante para conseguir algum sucesso. O cavaleiro conseguiu uma lide bastante positiva, tendo em conta as condicionantes do oponente, destacando-se na brega e no desenho das sortes.

Francisco Palha foi responsável por uma actuação de grande qualidade. Iniciou com uma sorte gaiola bem desenhada, cravou mais um comprido de qualidade elevada e o segundo curto é de muitos quilates. A restante lide contou com uma boa brega e excelente escolha dos terrenos para o desenho das sortes permitindo cravagens bastante positivas e rematadas a preceito.

António Prates esteve exuberante e com uma actuação de belíssima qualidade (das melhor que lhe vi nos últimos tempos). Bem na brega, escolha de terrenos acertada e cravagens ajustadas e rematadas a preceito. Os dois primeiros curtos são de grande qualidade.

Luís Rouxinol teve o pior lote de touros da corrida. O segundo voltou a ser manso e a procurar refúgio em tábuas. Ainda assim, o cavaleiro não deixou créditos em mãos alheias e desenhou uma actuação muito positiva baseada em conhecimento, experiência, resiliência e uma entrega desmedida. Rouxinol a colocar emoção onde não existia. Noite de muito trabalho mas também de valentia e valor por parte do cavaleiro.

Francisco Palha voltou a receber o oponente em sorte gaiola. Uma lide menos exuberante que a primeira mas ainda assim de boa qualidade. 2 curtos de boa nota foram o destaque da segunda actuação.

António Prates fechou a noite com uma actuação irregular a longe do brilho da primeira. Valeu pelo esforço mas o resultado artístico não foi de todo positivo, com alguns toques na montada.

Pelos Amadores de Vila Franca de Xira foram à cara: David Moreira (primeira tentativa), Pedro Silva (primeira tentativa, numa extraordinária pega), Guilherme Dotti (excelente primeira tentativa a aguentar vários derrote até o grupo se fechar), João Matos (primeira tentativa, após dobrar João Luz que saiu lesionado da tentativa inicial), Rui Godinho (terceira tentativa) e Vasco Pereira (terceira tentativa).

Uma noite de exaltação ao forcado e em que as pegas foram mesmo para homens de barba rija. Uma noite que deve orgulhar todos os vila-franquenses pelo desempenho do seu grupo!

A Palha Blanco registou uma bonita moldura humana.

Corrida dirigida por Tiago Tavares, assessorado por Jorge Moreira da Silva.

 

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Nuno Almeida

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6771 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.