Rui Bento destaca que “maestro Joaquim Manuel ultrapassou todas as barreiras do que é ser um artista tauromáquico”

 

Antes da sessão inaugural da exposição de homenagem a Joaquim Bastinhas, o director de actividades tauromáquicas do Campo Pequeno, Rui Bento Vasques, falou ao Infocul.

Começou por nos dizer que “não há palavras para descrever a importância da figura que estamos a homenagear, e sobretudo para dizer o quanto foi importante para a Tauromaquia e para a sociedade portuguesa enquanto homem da tauromaquia. O maestro Joaquim Manuel ultrapassou todas as barreiras do que é ser um artista tauromáquico, é indiscutivelmente o toureiro mais popular que nós tivemos, não digo só pelo que fazia na arena que era muito importante, mas ultrapassou aquilo que era fora da arena e é uma figura que vamos ter na memoria com todo o carinho e amizade que os portugueses sentem por ele”.

A exposição é “um trabalho da Helena e demorou dois dias, com muita dedicação e muito carinho”, a ser erguida na entrada principal e em parte do corredor interno da praça.

Estará “até dia 9 estará em exposição ao público, e há aqui peças únicas e de uma figura histórica que é sempre bom recordar”.

Quando questionado se há possibilidade de o Campo Pequeno instituiu um prémio por temporada com o nome do cavaleiro, disse apenas que “tudo está muito fresco, vamos levar sempre em sintonia com aquilo que for o desejo da família”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.