A Ala dos Namorados actuou na noite de 24 de Abril, pelas 22:30, na Fortaleza de Santiago, em Sesimbra, num espectáculo inserido nas comemorações do 25 de Abril.

 

O projecto musical conta com mais de vinte anos de existência e o seu nome advém da famosa Batalha de Aljubarrota, na qual os portugueses venceram os castelhanos, e em que uma das alas a favor do Reino de Portugal tinha essa designação por ser formada por combatentes ainda jovens.

 

 

Este concerto da Ala dos Namorados foi inserido nas comemorações dos 42 anos do 25 de Abril e dos 40 anos da Constituição. As celebrações desta data, no concelho de Sesimbra, foram repletas de música.

 

 

O monumento histórico encheu, por completo, para ver e ouvir a magnífica voz de Nuno Guerreiro a cantar temas do disco “Felicidade”, editado em 2014, e outros grandes êxitos da banda, como: “Caçador de Sóis”,” Loucos de Lisboa”,” Solta-se o Beijo” e “Zé Passarinho”. Grande parte dos temas do grupo são compostos por João Monge. Já “Sentinela”, do novo disco, foi escrita por José Fialho Gouveia que esteve presente no concerto em Sesimbra, realizado ao ar livre e com entrada gratuita.

 

 

O concerto começou um pouco depois da hora marcada devido aos discursos dos representantes do poder camarário. Finalizados, o grupo pôde subir a palco. Nuno Guerreiro (voz), Zé Nabo (baixo), Alexandre Frazão (bateria) e Manuel Paulo ( teclas) abriram a noite com um tema do novo disco.

 

 

Durante o concerto houve alguns momentos caricatos como uma troca de músicas no repertório ou o excesso de animação de algumas das pessoas que estavam a assistir ao espectáculo nas muralhas do edifício. Este tipo de momentos levou a momentos de grande interacção entre a banda e o público. Ao longo de quase uma hora de concerto, que foi finalizado bem próximo das 24 horas com o tradicional fogo-de-artifício, ofereceram ao numeroso público o melhor da música portuguesa e uma energia contagiante, da parte de Nuno Guerreiro. Os presentes tiveram em baladas, como o “Caçador de Sóis”, um momento mais calmo e de introspecção mas em “Zé Passarinho” todos se levantaram dos lugares e dançaram com o vocalista.

 

 

A última música do repertório, já bem próxima das doze badaladas, e tendo em conta a situação, foi “Grândola, Vila Morena” à capela. As vozes dos sesimbrenses e dos visitantes que aproveitaram a simpática noite de primavera, porém algo fria, juntaram-se à de Nuno Guerreiro e Manuel Paulo.

 

 

A contra-senha da “Revolução dos Cravos” foi a banda sonora ideal para entrar no 25 de Abril, de cravo vermelho(que tinham sido distribuídos pelo público, anteriormente, pelos elementos do grupo) em punho e a apreciar um espectáculo pirotécnico que durou, aproximadamente, 10 minutos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.