Terras Sem Sombra: Começa a 13ª descoberta pelo melhor do Alentejo!

Terras

 

O Terras Sem Sombra começa este fim-de-semana, 11 de Fevereiro às 14:30 em Almodôvar com uma novidade, as visitas ao património do centro histórico. Antes da estreia do Festival, o Consulado-Geral de Portugal em Sevilha, foi o palco, no passado fim-de-semana, de uma mostra do que será possível desfrutar, ao longo de seis meses no Festival Terras Sem Sombra.

 

 

O Festival começa no dia 11 de Fevereiro às 14:30 com uma visita ao centro histórico de Almodôvar. Estas visitas históricas, que vão decorrer das 14:30 às 17:30, são desenvolvidas por especialistas no estudo do património cultural e natural, o percurso tem como ponto de encontro a igreja matriz de Santo Ildefonso. Aos participantes na deambulação é dada a oportunidade de se familiarizarem com um bem patrimonial ainda pouco conhecido do público, neste caso o convento franciscano de Nossa Senhora da Conceição. 

 

 

O concerto de inauguração do Festival acontece às 21:30 do dia 11 de Fevereiro e cabe à Accademia del Piaccere, um grupo de vanguarda da música antiga espanhola que já é considerado um dos principais conjuntos do género na Europa. Este ensemble tem como maestro Fahmi Alqhai, que a crítica aclama como um dos mais brilhantes e prestigiados jovens intérpretes de viola da Gamba no mundo, pela sua abordagem pessoal e comunicativa dos repertórios históricos. Em Almodôvar, apresenta-se uma fusão músical e espiritual do Barroco e do Flamenco, com a participação do cantor cigano  Arcángel, uma das grandes vozes andaluzas da actualidade, a que se associa ainda o percussionista Pedro Esteban.

 

 

A primeira etapa do Festival termina no dia 12 de Fevereiro às 10:00 com um passeio pela biodiversidade na Serra do Mú que depois do grande incêndio de 2004, no qual arderam cerca de 30 mil hectares, perdeu população, viu transformar o seu capital florestal, mas assistiu também a um incremento dos trabalhos de prevenção e ao surgimento de novas oportunidades em torno dos recursos silvestres. Nesta actividade procura-se compreender o significado de tais mudanças, do ponto de vista da biodiversidade e, dando uma mão à natureza em algumas tarefas, apontar caminhos para o futuro.

 

 

O Festival Terras Sem Sombra é de entrada livre e prolonga-se até ao dia 02 de Julho. O Terras Sem Sombra, com o título “Do espiritual na arte identidades e práticas musicais na Europa dos séculos XVI-XX, vai passar por Odemira, Ferreira do Alentejo, Santiago do Cacém, Castro Verde, Serpa, Sines e Beja. Esta iniciativa é um hino ao Baixo Alentejo, à sua beleza natural e espaços culturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.