Viana do Castelo: Ministério da Cultura vai apoiar ampliação do Museu de Artes Decorativas

ABF_5031

 

 

O Ministro da Cultura, Castro Mendes, esteve no Museu de Artes Decorativas de Viana do Castelo, onde visitou, acompanhado pelo diretor do Museu Nacional de Arqueologia, a exposição “O tempo resgatado ao Mar”. Na visita, foi apresentado o projeto de ampliação do MAD com vista a integrar um núcleo de arqueologia marítima, que mereceu o aval do governante. 

 

 

No MAD, o Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo apresentou ao Ministro da Cultura o projeto de ampliação com vista a integrar uma exposição permanente de arqueologia marítima, tendo para isso pedido a colaboração do Ministério da Cultura e do Museu Nacional de Arqueologia para a conclusão da reabilitação das três pirogas do rio Lima que estão à guarda daquele espaço museológico, e ainda o apoio técnico para o programa do novo núcleo, onde ficará instalado o valioso espólio arqueológico do concelho. O Ministro da Cultura, na resposta, acolheu com grande entusiasmo e demonstrou toda a disponibilidade para desenvolver o projeto. 

 

 

De referir que, na exposição “O tempo resgatado ao Mar” do Museu Nacional de Arqueologia que dá a conhecer os principais resultados da atividade arqueológica náutica e subaquática realizada em Portugal nos últimos trinta anos, estão três pirogas do rio Lima de entre as seis embarcações encontradas em Viana do Castelo. As pirogas, embarcações monóxilas feitas a partir de um tronco de árvore escavado, conhecido na Europa desde a pré-história e mais precisamente desde o neolítico, foram utilizadas no Rio Lima e, por serem embarcações construídas através de uma tecnologia muito particular, merecem grande relevo e assumem enorme importância para a comunidade científica portuguesa e internacional. 

 

 

Em Viana do Castelo foram encontradas seis pirogas entre as freguesias de Moreira de Geraz do Lima e Mazarefes, sendo que as cinco identificadas foram na altura enviadas para a Divisão de Arqueologia Náutica e Subaquática para restauro, estudo e conservação. Três delas integram esta exposição que chega a Viana do Castelo e que apresenta uma seleção de peças oriundas de ambientes marítimos, fluviais ou húmidos de todo o território nacional desde a época pré-romana ao século XX, com maior incidência na época moderna, resultado de numerosos naufrágios referenciados.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6403 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.