Um grupo informal de profissionais da cultura e das artes “vai promover uma vigília (Vigília Cultura e Artes) no próximo dia 21 de maio, entre as 9:00 e as 19:00. A vigília vai acontecer, em Lisboa, em frente à Assembleia da República. Terá lugar também noutras cidades, descentralizando a acção e reforçando a importância de uma perspectiva que tenha em conta a realidade de todo o país. Até este momento, estão formadas comissões na Madeira, em Faro, nas Caldas da Rainha, em Setúbal, Porto, Aveiro e Vila do Conde“, refere o comunicado.

Acrescenta que “esta é uma ação consciente e cumpre as normas de segurança em vigor por conta do estado de calamidade devido à pandemia covid-19. Será, por isso, dividida em turnos de 10 pessoas que se vão revezando, fazendo assim cumprir a regra do distanciamento social“.

A “Vigília Cultura e Artes pretende visibilizar a luta travada por todos os profissionais da cultura e das artes que ficaram sem qualquer fonte de rendimento ou que, perante as escassas medidas implementadas pelo Estado e Ministério da Cultura, não encontraram nas mesmas apoio suficiente. Junta-se ainda, não pretendendo substituir nenhum, a todos os movimentos e estruturas, formais e informais, que exigem uma estratégia a curto, médio e longo prazo para a cultura“.

A aprovação de um fundo de emergência efetivamente capaz de fazer face à presente situação, o reconhecimento das profissões ligadas à cultura, a criação de um estatuto que garanta uma proteção eficaz a todos os que nelas trabalham e a criação de uma política cultural ajustada às necessidades do setor são algumas das reivindicações que estão na base desta vigília“, refere ainda um comunicado assinado pel’ A comissão organizadora da Vigília Cultura e Artes (Lisboa): Anaísa Raquel (atriz e audiodescritora), André Imenso Cruz (produtor e relações públicas), Bárbara Rocha (produtora), Célia Pires (produtora), Clara Amante (produtora), Cláudia Matos (gestora cultural), Erica Rodrigues (atriz e performer), Joana Saraiva (audiodescritora e atriz), Luís Pimenta (ator e técnico de palco), Manuela Jorge (produtora cultural), Nuno Paulino (Artelier – Autor, dramaturgo Urbano e Espaço Público), Patrícia Caeiro (atriz e Coordenadora do Grupo de Teatro e Animação TEN_TART), Tânia Leonardo (atriz, técnica de expressão dramática, diretora Teatro da Pessoa)

Neste momento, estão já criadas comissões de organização da Vigília nas seguintes Cidades: Lisboa, Almada, Madeira (Funchal), Faro, Caldas da Rainha, Setúbal, Vila do Conde, Porto, Aveiro, Coimbra, Évora e Santa Maria da Feira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.