A Praça de Touros Palha Blanco, em Vila Franca de Xira, recebeu, este domingo, a primeira de três corridas de touros que integram a feira taurina, em Outubro.

Em praça, os cavaleiros António Ribeiro Telles e António Ribeiro Telles (filho), os matadores El Fandi e Juanito e os Forcados Amadores de Vila Franca de Xira.

António Ribeiro Telles lidou um exemplar da ganadaria Vale Sorraia. Um touro sem bravura nem transmissão. Uma lide regular sem motivos de destaque, na qual Telles apostou no classicismo mas sem triunfar.

António Telles filho lidou um exemplar anunciado como Vale Sorraia mas com ferro de David Ribeiro Telles, e após um início pouco auspicioso, cravou três ferros curtos de boa nota. Uma lide positiva e que decorreu de menos a mais.

Fandi teve um péssimo touro por diante e que não permitiu brilho algum. Fandi esteve regular no capote, eficiente nas bandarilhas e sem sequência na muleta.

Juanito teve uma primeira actuação na qual se destacou no capote com bonitos e profundos lances, o tercio de bandarilhas coube aos bandarilheiros que estiveram longe de brilhar e depois na muleta conseguiu destacar-se enquanto o touro colaborou. A parte final foi já em esforço e sem côr.

António Telles teve uma segunda actuação frente a um touro da ganadaria Vale Sorraia, novamente em modo lidador e clássico. Uma lide qualitativamente superior à primeira, com melhor brega, escolha de terrenos e cravagens de qualidade, pese duas passagens em falso.

El Fandi teve uma segunda actuação mais agradável e também um touro mais colaborante. Bem no capote, excelente a bandarilhas e bem na muleta, por ambos os pitons.

Juanito voltou a estar bem, mesmo diante de um touro menos colaborante e que cedo rachou. Uma faena na qual colocou tudo, superiorizando-se ao seu oponente.

Foram à cara pelos Forcados Amadores de Vila Franca de Xira: Luís Valença Cardoso (2ª tentativa), Diogo Conde (3ª tentativa) e João Matos (1ª tentativa).

Lidaram-se touros das ganadarias de Vale Sorraia (a cavalo), David Ribeiro Telles (a cavalo) e Calejo Pires (a pé). Os touros pecaram no que a bravura diz respeito e mesmo em termos de apresentação não foram de grande beleza.

Um espectáculo longo, com pouco de positivo a retirar. Aplauso para a venda da totalidade dos bilhetes disponíveis.

Corrida dirigida por Lara Gregório de Oliveira, assessorada por Jorge Moreira da Silva.
Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.