Xutos, em noite de rock dedicado ao amor colocam Coliseu dos Recreios ao rubro

xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-26

 

 

Os Xutos & Pontapés tiveram neste sábado, 29 de Outubro, a segunda noite no Coliseu dos Recreios com o espectáculo “Se Me Amas” em formato acústico. O rock foi cantado e tocado sob a temática do amor. E enamorados com a beleza e grandiosidade do concerto saíram os milhares que marcaram presença na mais emblemática sala da capital.

 

 

Seis bancos com os respectivos instrumentos à frente encontravam-se ao longo do palco à espera dos artistas, numa das raras ocasiões em que os Xutos actuaram sentados perante uma plateia também ela…sentada. Ao cabo de quase 38 anos de carreira, os pais do rock em Portugal, continuam a surpreender.

 

 

O primeiro a cumprimentar a assistência foi Zé Pedro assim que subiu a palco com um “boa noite”. Todos sentados, instrumentos afinados e “Chuva dissolvente” abria o espectáculo que viria a ter mais de duas horas e meia (teve um intervalo de 20 minutos pelo meio).

 xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-31

 

De seguida o cumprimento habitual de Tim aos seus (e dos Xutos) fieis e numerosos fãs: “Boa noite Coliseu. Aqui Xutos & Pontapés”, serviu de pontapé de saída para “Há qualquer coisa”, “Nós dois” ou “Tu e Eu”. Por entre os temas, além dos aplausos ouviam-se gritos de admiração como “Ah ganda Xutos” vindos desde a plateia às galerias em pé, passando pelo balcão e camarotes.

 

 

Do álbum “Dados Viciados” seguiu-se “No quarto de Candy” após o qual e perante o entusiamo do público Zé Pedro disse “isto hoje está ao rubro. Muito Obrigado”, não sem antes de deixar uma questão a Tim, “É muito bom toar para uma plateia assim, não é Tim?”, à qual o vocalista respondeu afirmativamente.

 xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-32

 

Num “truque extraordinário” de Kalu, como referiu Zé Pedro, o publico bateu palmas ritmadas nos primeiros acordes de “Pequenina”.”Sendo este um espectáculo de canções de amor, a próxima foi a nossa primeira disse Tim sobre “Conta-me historias”.

 

 

Nesta primeira parte do espectáculo destaque ainda para uma referência a Bob Dylan e para o tema “Se me Amas”, o qual dá nome ao espectáculo. Sobre o cd/dvd à venda, Zé Pedro disse “é muito simpático e pode ser adquirido nas lojas da especialidade“.

 xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-17

 

Após 20 minutos (aproximadamente) de intervalo e com cenário renovado (um sofá no centro do palco e dois “X” suspensos em cada lado do palco), Tim e João Cabeleira regressam e sentados com as suas guitarras interpretam “Doçuras”. Para o tema seguinte juntou-se Zé Pedro no sofá e num banco ao lado Carlos Guilherme (Gui). Kalu junta-se ao restante grupo no tema seguinte, não sem antes preparar o o seu banco e percussão junto também do bonto sofá, que era de Zé Pedro e agora pertence aos Xutos. A ideia para este sofá em palco foi de Tim, segundo as confidências da banda em palco.

 

 

Apesar do conforto que transmitiam em tão ilustre e bonito cenário, os músicos regressaram aos lugares da primeira parte, ao mesmo tempo que o sofá era cuidadosamente retirado de palco. As surpresas essas ainda não se tinham esgotado. Kalu, eterno baterista deste grupo, foi para o piano e Gui para o bombo em “Um Deus”.

 xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-12

 

Já com Kali de regresso à bateria os Xutos continuaram a “Remar Remar” um barco que entreva agora no final desta viagem pelos coliseus. Mas antes haviam ainda paragens obrigatórias por alguns dos maiores sucessos do grupo.

 

 

Apos umas pequenas afinações,  tempo para “Homem do Leme” acompanhados pelo coro do Coliseu dos Recreios que mostrou-se versátil e também acompanhou com palmas. “Circo de feras” foi o tema seguinte sendo antecipado pela historia deste tema, escrito numa espera por uns ténis.

 

xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-4

 

Momento alto nas homenagens para nomes como João Ribas e Zeca Afonso.

 

 

E se até então o público tinha estado sentado embora entregue ao espectáculo e entusiástico, temas como “Ai se ele cai”, “Dia de São Receber”, “Contentores”, “Maria”, “A minha Casinha” ou “Para sempre” com o qual fecharam o espectáculo, fizeram o público saltar das cadeiras. Coliseu ao rubro. Pelo meio ainda dois encores promovidos pelo batimento de pés do público que fez o coliseu lisboeta tremer.

 xutos-e-pontapes-acustico-se-me-amas-29-10-2016-11

 

E ao fim de 38 anos os Xutos continuam a ser o símbolo maior do rock em Portugal. Reinventam-se, renovam arranjos, mas mantêm o carisma e a qualidade que faz muitas gerações os acompanharem pelo país fora. Uma nota ainda para a equipa técnica de luzes e som da banda. O jogo de luzes esteve absolutamente magistral criando momentos intimistas e dando ainda mais intensidade aos temas. O som esteve irrepreensível. Dois elementos também eles importantíssimos no sucesso obtido pela banda no Coliseu dos Recreios, num espectáculo em que os Xutos contaram com Nuno Espirito Santo (o músico e não o treinador de futebol) no baixo.

 

Fotografias: Carlos Valadas

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6771 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.