Segunda-feira, Outubro 18, 2021

Dias Gomes e Bastinhas destacaram-se em Beja

Dias Gomes e Bastinhas destacaram-se em Beja

Dias Gomes e Bastinhas destacaram-se em Beja, na corrida realizada ontem à tarde.

A praça de touros José Varela Crujo recebeu, ontem, uma corrida de touros mista de beneficência a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Beja. Compondo o cartel António Brito Paes, Marcos Bastinhas, João Pamplona, João Salgueiro da Costa, Luís Rouxinol Jr. e Manuel Dias Gomes, pegas a cargo do grupo Forcados Amadores de Cascais e Beja e os touros de Rio Frio, Varela Crujo e Santa Maria.

Texto e Fotografias: Roberto Pingas Rodrigues

Manuel Dias Gomes abriu a tarde com uma afarolada de valor que ligou de imediato o público ao toureiro. Alternando entre chicuelinas, verónicas e meias verónicas, Manuel andou ligado ao público no tercio de capote. Na muleta, Manuel começou exatamente da mesma forma ligando o publico a ele, abrindo o tercio da muleta de joelhos no chão com “derechazos” e passes naturais, foi desenvolvendo uma agradável faena e pisando terrenos cada vez mais perto do touro tendo ainda numa aproximação ao touro levado um toque do oponente mas nada de alarmante. Bandarilhou Cláudio Miguel.

António Brito Paes começou bem com dois ferros compridos bons mas com o decorrer da lide foi perdendo o brilho com que a começou. Desenhou sortes de frente, nem sempre cingidas levando toques na montada e com ferros a cilhas passadas, Brito Paes toureou de forma irregular.

Foi forcado da cara João Tomás, pelos Amadores de Cascais, que na sua tentativa quando já o grupo fechava caiu da cara do touro e acabou sendo pisado na zona do pescoço pelo touro, foi dobrado por Afonso Cruz que consumou à segunda tentativa efetiva.

Marcos Bastinhas é muito acarinhado em Beja e desde que entrou em praça não quis defraudar as pessoas que o foram ver. Teve no início da lide um problema com a cilha que se partiu. No desenrolar da lide desenhou sortes à tira nos ferros compridos e sortes de frente com terrenos bem escolhidos e remates bonitos nos curtos. Quando o touro já não dava mais de si, Marcos escolheu terminar a lide mas o público não deixou, Marcos trocou de montada e fechou a lide com o seu típico par de bandarilhas deixando o público em alvoroço.

Touro com 550kg, corniaberto, dificultou a pega aos forcados Amadores de Beja. Manuel Vicente consumou ao quarto intento já com o grupo a carregar mais em cima.

João Pamplona, cavaleiro terceirense, veio a Beja mostrar que nas ilhas também há valor no toureio a cavalo. Toureou com cavalos cedidos por Marcos Bastinhas e toureou bem, desenhou as sortes com brio, começando com sortes à tira de forma calma e certeira pondo o ferro no seu devido sítio. Nos curtos continuou bem, desenhando sortes de frente, praça a praça cravando com brio ao estribo e rematando-as com valor.

Consumou ao primeiro intento, João Galamba numa pega que o forcado se fechou bem na cara do touro e o grupo ajudou com eficácia.

A quinta lide da tarde coube a João Salgueiro da Costa, começando mal, cravando o segundo ferro comprido muito descaído. Foi melhorando com o decorrer da lide, ajustando os ferros e os terrenos para assim melhorar. Também muito ligado ao público, com sortes de frente rematadas à meia volta conquistando o mesmo. Concluiu a lide com um palmito ao estribo.

Touro da ganadaria Varela Crujo que saiu muito bem sendo o ganadeiro chamado à praça para ovação.

Pelos forcados amadores de Beja, Pedro Fernandes consumou a pega ao primeiro intento.

Para fechar a tarde, Luís Rouxinol Jr. teve um touro complicado, com pouca investida, pouca mobilidade e com crenças nas tábuas.  Rouxinol Jr. andou bem e fez o que pôde perante o touro, dois ferros compridos à tira de boa nota, sortes a sesgo e sortes de frente com batida ao piton contrário, compuseram assim a lide deste complicado touro. Fechou a lide com um palmito primeiramente irregular e segundamente cravando à meia volta junto às tábuas.

Para a cara deste touro, Carlos Dias pelos amadores de Cascais. A pega foi consumada por forcados de Beja e Cascais à primeira tentativa efetiva depois de ter desfeito a primeira pelo touro estar preso às tábuas.

Os touros saíram bem na generalidade, bem apresentados, nobres e bravos, excepto os touros da ganadaria Santa Maria que tinham querenças em tabuas e toques de mansidão. Média de peso acima dos 475kg. A maioria das lides e pegas foram dedicadas aos Bombeiros Voluntários de Beja

Uma boa tarde de touros onde faltou algum público e atenção do mesmo pelo espetáculo. Esta corrida de touros de beneficência a favor da associação humanitária dos Bombeiros Voluntários de Beja foi dirigida pelo delegado técnico Agostinho Borges, assessorado pelo médico veterinário José Guerra e no cornetim marcou presença Nuno Massano.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
114InscritosInscrever