Defender a Liberdade Impondo Uma Vontade: Bem-Vindo à ‘Era dos Revoltados de Facebook’!

A igualdade baseia-se somente na liberdade. Na nossa e na dos outros. Imagine: Eu não gosto de ópera, mas o caro leitor é apreciador de tal arte. A minha liberdade de não gostar de tal arte é igual à sua de a poder apreciar e usufruir e ninguém tem que criticar outro alguém. É simples, certo? Então que saibamos aplicar esta máxima a todos os quadrantes da nossa vida, pessoal e profissional.

Confunde-se imposição com liberdade e exige-se igualdade mas impondo apenas uma vontade. Ora isto andamos com os valores todos trocados porque muitos são comprados por preços que na verdade nem valem.

Na era dos revoltados de Facebook, temos que ‘gramar’ com todos os tipos de luta, todos os tipos de manifestação e imposição de vontades como se de verdades absolutas se tratassem. E ai de quem não se deixe reger por estas ideologias extremistas. Fica logo catalogado como ‘ressabiado’, ‘acéfalo’, ‘arcaico’, ‘ antiquado’ e outros tantos.

Talvez estejamos num tempo em que alguns humanos pensem que temos todos que nos emancipar e adoptar um estilo narcisista: ‘É assim porque eu acho que deve ser assim e se eu acho então é porque vai ser’. Vem isto a propósito de algumas tentativas de ‘imposição’ encapotados sob o desígnio da liberdade e da igualdade. Os assuntos esses são de domínio público e por todos conhecidos. Mas numa altura em que até uma jornalista, de inegável valor e mérito, é criticada por dizer “Até Amanhã, Se Deus Quiser’, então estamos mesmo muito mal. Não se trata de uma questão religiosa. Não vamos é cair no ridículo de dizer 50 mil frases de despedida porque poderemos ‘ferir’ alguém. Porque quem vive bem consigo próprio e com os seus ideais de vida, facilmente entende e se coloca no lugar do outro, mesmo que essa pessoa tenha ideais diferentes.

Se as ditas maiorias e as minorias continuarem a olhar para a diferença como um alvo a abater, então em breve estaremos todos numa guerra sem fim e sem vencedores. Debater, discutir, conversar, são alguns dos veículos que mais facilmente poderão gerar consensos e possibilidades de liberdade para todos. Temos alguns exemplos de que o mundo está em perigo. Cabe a cada um de nós mudar o rumo, ou então embarcar nesta viagem cujo destino será desastroso e sem mérito algum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.