Domingo, Agosto 1, 2021

Fritar miolos alheios

Frederick Douglass, foi um afro-americano que viveu nos anos de 1855, era escravo e se tornou abolicionista.

Os EUA o reconheceram como o pai do movimento pelos direitos civis. Ele militou a favor das mulheres, da reforma agrária, paz e abolição da pena de morte. Proferiu a célebre frase que navegou pelos tempos: “É mais fácil construir filhos fortes do que reparar homens quebrados“.

Desde pequenos, se formos instruídos por nossos pais, ou um bom tutor, que decidir nos ensinar um rumo saudável até seus últimos dias, teremos uma boa chance de seguirmos o caminho do bem comum.

Nossa dedicação e relação saudável com a sociedade, poderá dar frutos e flores, a serem colhidas em seus tempos de maturação.

Porém, atitudes que correm na contramão do bem-estar, como a falta de sensatez, a má formação pregressa, provocam conduta inaceitável e inadequada; acabam por levar o indivíduo ao isolamento.

Casos considerados fora da curva, como do deputado federal pelo Rio de Janeiro, Daniel Silveira, escancaram um tipo de comportamento desagradável, consequência de um histórico de atitudes malfeitoras, e desrespeito ao próximo. Ele defende o AI5 que não permite garantias pessoais, foi investigado no inquérito das fake news, e punido 60 vezes quando estava na PM.

Recentemente publicou vídeo com fala ácida, agressiva e chula, no tocante as instituições, além de se portar como um neandertal. Com um passado desagradável e presente inapropriado socialmente, observamos a construção do mal chegando ao topo de sua meta, a prisão.

Esse é o fundo do poço humano, que se origina na extrema libertinagem da retórica livre.
Não tão diferente da forma de condenação brasileira, a prisão, um gênio da retórica nipônica, declarou publicamente, que as mulheres falam muito durante reuniões de conselho administrativo, o que pra ele é irritante. Esse Japonês mostrou ao mundo que a falta de respeito na administração dos jogos olímpicos, é levada muito a sério. Mesmo sendo um homem idoso (83 anos), de elevada sapiência em terras orientais, não está autorizado arguir quaisquer maledicências ao vento.

Desejando se utilizar da prerrogativa longeva no oriente, bateu de frente com a sociedade, que não permitiu que disparasse comentários machistas, discriminatórios e covardes. Por fim, Yoshiro Mori, renunciou ao cargo de Presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio.
A ignorância traz o caos, não o conhecimento.

Eventualmente podemos proferir asneiras maldosas e provocativas aos ouvidos de alguém, talvez, um honesto pedido de desculpas bem elaborado possa resolver a aventura descabida. Porém, a frequência do dolo, e a maledicência repetitiva, fritam miolos alheios. Tornam indivíduos incapazes de abrir seus ouvidos a tolerância, ou a um pedido de escusas educado.

A demissão, prisão, ou retirada do front, é o que resta a esses pretensiosos sábios da maledicência, como opção por sua língua azeda.

Nota: Texto escrito em Português do Brasil

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
102InscritosInscrever