Domingo, Outubro 24, 2021

João Moura Jr. antecipa mano-a-mano em Elvas: “Marcos está no seu melhor momento”

João Moura Jr. antecipa mano-a-mano em Elvas: "Marcos está no seu melhor momento"

João Moura Jr. antecipa mano-a-mano em Elvas: “Marcos está no seu melhor momento”, disse, em entrevista ao Infocul.pt.

O Coliseu Rondão de Almeida, em Elvas, receberá um fascinante mano-a-mano, no próximo sábado, entre os cavaleiros João Moura Jr. e Marcos Bastinhas, frente a touros das ganadarias de Veiga Teixeira, Murteira Grave e Romão Tenório. Pegam os forcados amadores de Évora e Académicos de Elvas.

O cavaleiros João Moura Jr. concedeu uma entrevista ao Infocul, na qual aborda esta fascinante corrida, na qual se perspectiva emoção e competição máximas e forte adesão do público.

A preparação é sempre a mesma para qualquer corrida, o único que é diferente, como são 3 touros a quadra tem que ser maior para este compromisso“, começou por nos dizer, sobre a preparação.

Sobre o seu colega de cartel, sobraram elogios: “O Marcos está no seu melhor momento, e tem uma quadra muito completa em que consegue ter uma variação de vários tipos de toureio em cada cavalo, e isso é uma grande vantagem porque consegue fazer sempre vibrar o público ao máximo

De seguida falou sobre o elemento essencial da corrida, o touro. Neste caso, das três ganadarias que serão lidadas: “Tenho tido a sorte de ao logo da minha carreira poder tourear dos melhores touros da minha vida serem destas 3 ganadarias, a meu ver são as 3 ganadarias mais importantes, cada uma a sua maneira de investir pelo seu encaste, as características que destaco de Veiga Teixeira é a emoção que transmitem no momento do ferro, a de Grave a bravura, alegria na maneira como investem e Romão Tenorio a classe, cadência e regularidade“.

João Moura Jr. é um cavaleiro de arte, mas também de improviso. Depois da recriação da sorte Mourina (uma criação do seu pai, João Moura), evoluiu e cravou um par de bandarilhas, executando esta mesma sorte. Inclusive já tentou uma porta gaiola, com esta mesma sorte.

Questionou João, se para Elvas tem alguma surpresa na manga, tendo o cavaleiro explicado que “a sorte da Mourina tornou-se de uma inspiração a uma sorte que quando saio em praça sinto me quase “obrigado “ a ter que fazer, e isso como pode imaginar nem sempre os touros o permitem fazer, nem a sorte que sai de uma inspiração se consegue pôr em prática ao máximo nível todos os dias. Na Nazaré consegui fazê-la com o par de bandarilhas, espero poder voltar a fazer, e no Campo Pequeno tentei fazer em sorte de gaiola, mas o touro infelizmente não ajudou nada.
Vamos ver se em Elvas consigo…
“, disse.

Confessa que “graças a Deus“, encontra-se no seu melhor momento a nível pessoal e profissional, sendo um homem de muita fé e extremamente trabalhador e exigente.

A temporada de Moura Jr. tem sido marcada por cartéis de alta competição, com o cavaleiro a dizer que “acho que o nível tem de ser sempre alto, pelo menos faço sempre para que assim seja, mas o rei da festa, o touro nem sempre permite expressar o nosso melhor“.

Sobre a possibilidade de lotação esgotada, destacou que “é importante para nós cavaleiros que assim seja, para demostramos que realmente despertamos rivalidade e competição aos aficionados e quando assim é quem sai a ganhar é a tauromaquia, e aí sim que é um triunfo grande para todos“, rematou.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
114InscritosInscrever