João Moura Jr. sobre actuação na Nazaré: “Acho que foram duas lides boas, de princípio ao fim”

João Moura Jr. sobre actuação na Nazaré: “Acho que foram duas lides boas, de princípio ao fim”, disse em declarações ao Infocul.pt.

João Moura Jr. sobre actuação na Nazaré: "Acho que foram duas lides boas, de princípio ao fim"

Entrevista e Fotografia: Rute Nunes e Carlos Pedroso
Texto: Rui Lavrador

A Praça de Touros da Nazaré recebeu, este sábado, uma corrida de touros com o cartel a ser composto pelos cavaleiros João Moura Jr., Marcos Bastinhas e Luís Rouxinol Jr., bem como os forcados amadores de Montemor e Vila Franca de Xira, frente a touros da ganadaria Passanha.

O cavaleiro João Moura Jr., após as suas duas lides, concedeu declarações ao Infocul.pt, sobre a corrida, os touros que lhe calharam em sorte e ainda sobre a quadra de cavalos usada nesta corrida.

Tem sido uma noite fantástica, tem tido um ritmo excepcional, os touros têm sido bons, dar os parabéns ao Diogo Passanha. Relativamente às lides, acho que foram duas lides boas, de princípio ao fim, consegui arriscar, tourear devagar e no sítio. Estou muito contente, porque sempre que venho aqui é para desfrutar ao máximo, o público é magnífico, aqui sinto-me como se estivesse a tourear em casa e este povo é maravilhoso”, disse-nos sobre as duas actuações.

Num cartel composto por cavaleiros de dinastia, questionámos João Moura Jr. se os mais jovens desta dinastia mostram, ao competir entre si, que são o presente e o futuro da tauromaquia em Portugal.

Moura Jr. fez questão de elogiar os mais antigos de dinastia e a responsabilidade que os mais novos acarretam, devido ao percurso dos seus antecessores.

Eu, o Marcos e agora o Luís, ao longo dos anos, temos vindo a dignificar o nome dos nossos pais, temos dado o nosso melhor. Agora, logicamente que temos a fasquia tão alta que qualquer comparação será sempre pouca. É uma tarefa sempre muito difícil, mas no que a mim me diz respeito, tenho tentado sempre honrar o nome do meu pai ao máximo, pela figura que é e por tudo o que me ensinou até ao dia de hoje”, referiu.

Sobre a quadra de cavalos usada nesta corrida, disse: “Toureei no Londres, que tem sido um cavalo muito seguro de saída, este ano, depois usei o Juventus, que está num grande momento e num nível em que me sinto em casa. No segundo touro, usei o Mali, que é a segunda corrida que toureia este ano, creio que irá ser um grande cavalo, é ainda muito novo. Depois, usei dois dos craques, o Jet Set e o Hostil, que estiveram ao nível que já nos habituaram, mas claro que temos de querer sempre um bocadinho mais e amanhã é chegar a casa e apertar um bocadinho mais com eles para serem ainda melhores”.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

28,668FãsCurtir
12,945SeguidoresSeguir
302SeguidoresSeguir
181InscritosInscrever