Lusitano de Évora volta a empatar em casa a zero

Lusitano de Évora volta a empatar em casa a zero, desta feita frente ao Fabril.

Texto e Fotografias: Roberto Pingas Rodrigues

Equipas Titulares

Lusitano de Évora Clube: Marcelo Valverde (C), João Oliveira, Tiago Correia, Tiago Palancha, Guilherme Campos, Johnson Juah, André Santos, Sele Davou, Rafa Pinto, Jair Brito, Dida.

Grupo Desportivo Fabril: Filipe Neves, Ruben Ribeiro, Fonseca, Mamade, Kong, Matos, Caminata, Marinheiro, Jovani, Diogo Ramos (C), Conte.

Suplentes:

Lusitano de Évora Clube: Raimundo Duarte, Lane Nhaga, Matheus Pranke, Vitor Martelo, Rafael Gonzalez, Antony Perez, Marcos Soares, Adilson Balde, Mandinho.

Grupo Desportivo Fabril: André Duarte, Ruben Melo, Ivan, Gaby, Sardinha, Rafa, Claudio, Dieb, Ryan.

Árbitro: Gonçalo Ramos
Árbitros Assistentes: Bruno Duarte e Ricardo Guerreiro
Disciplina: Cartão amarelo a Jovani (8’), André Santos (9’), Marinheiro (86’), Matos (90’), Mamade (90’+1’)
Substituições –
Lusitano: André Santos por Marcos Soares (45’), Dida por Lane Nhaga (61‘), Rafa Pinto por Antony Perez (74’), Guilherme Campos por Matheus Pranke (74’), Jair Brito por Rafael Gonzalez (83’)
Fabril: Jovani por Sardinha (59’), Matos por Ivan (90’), Caminata por Claudio (90’+3’)

Decorreu na tarde de Domingo, pelas 15 horas, no campo Estrela, mais um jogo do grupo D a contar para a decima oitava jornada do campeonato de Portugal. Jogo esse entre Lusitano de Évora e G.D. Fabril. O Lusitano conta agora com nove empates na presente época.

Foi nos primeiros minutos de jogo que se viu a rigidez do arbitro Gonçalo Ramos, que não foi coerente durante todo o jogo. Também na primeira parte do jogo se viu que a equipa da casa entrou com sede de vitórias, faltando a dita sorte no momento do golo.

O Lusitano foi claramente superior durante os noventa minutos, chegando ao último terço com alguma facilidade pelo lado esquerdo do ataque, onde criou lances perigosos através de Rafa Pinto e Sele Davou mas onde a eficácia do ponta de lança faltou.

Já pelo lado direito, André Santos teve mais dificuldades em fugir a Ruben Ribeiro mas ainda assim conseguiu dar o ar da sua graça cruzando algumas bolas para o segundo poste para Jair Brito mas quase sempre intercetadas ou pelo guarda redes Filipe Neves, ou pela dupla de centrais da equipa do Fabril.

Na segunda metade do tempo, Marcos Soares superiorizou a ala direita, anulando a presença de Ruben Ribeiro. Desde João Oliveira, defesa lateral direito, até Marcos fazer o cruzamento bastava quatro ou cinco toques entre João Oliveira, Guilherme Campos, Marcos Soares e Sele Davou, trabalho esse que não deu frutos. Apesar de já notavelmente cansado, Ruben Ribeiro começou uma jogada pela ala esquerda do fabril, resultando num remate à barra.

Com as mexidas na equipa, a equipa de João Nivea pareceu adormecer em relação ao jogo que até então estava bastante divido. Perez e Nhaga entraram para a frente de ataque e com tanta ambição para o golo que acabaram por trancar bem as saídas curtas de bola, fazendo com que o fabril perdesse logo a posse.

Os últimos dez minutos de jogo foram extremamente intensos, com o Lusitano plantado no meio do adversário, tentando o golo de todas as maneiras mas Nhaga, Perez, Marcos Soares, Matheus Pranke e Rafael Gonzalez não o conseguiram fazer.

Ficou apenas um ponto em Évora na tarde deste Domingo, deixando o Lusitano como a equipa com menos derrotas e mais empates do grupo.

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,777FãsCurtir
12,739SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
277InscritosInscrever