Lusitano-Moncarapachense: Jogo polémico acaba empatado a zero, em Évora

Lusitano-Moncarapachense: Jogo polémico acaba empatado a zero, em Évora, na tarde de ontem.

Equipas Titulares

Lusitano de Évora Clube: Marcelo Valverde (C), Tiago Correia, Cassiano Borges, Tiago Palancha, Guilherme Campos, Johnson Juah, Lane Nhaga, Rafa Gonzalez, Rafa Pinto, Marcos Soares, Dida.

Lusitano Moncarapachense: Ayoub, Filipe Soares, Sana, Diogo Conceição (C), Leo Costa, Chima, Edu Souza, Jailson, Vasco Teixeira, Vasco Coelho, Amold

Suplentes

Lusitano de Évora Clube: Raimundo Duarte, João Oliveira, Matheus Pranke, Vitor Martelo, Gonçalo Oliveira, André Santos, Adilson Balde, Antony Perez, Jair Brito.

Lusitano Moncarapachense: Igor, Ismael, Ricardo, Tiago, Lamine, Kaba, Sanches, Vargas, Moreira

Árbitro: Gonçalo Carreira
Árbitros Assistentes: Bruno Vieira e Paulo Encarnação
Disciplina: Cartão amarelo a Johnson Juah (11’), Vasco Coelho (23’), Cassiano Borges (27’), Amold (27’), Sana (34’), Marcos Soares (74’), Antony Perez (81’)

Substituições:
Lusitano: Johnson Juah por Matheus Pranke (67’), Lane Nhaga por Antony Perez (75‘), Tiago Palancha por Jair Brito (84’), Rafael Gonzalez por Adilson Balde (84’), Rafa Pinto por Gonçalo Oliveira (84’)
Moncarapachense: Jailson por Moreira (89’)

Jogo polémico acaba empatado a zero, em Évora

Realizou-se neste Domingo, um jogo extremamente lusitanista, entre o Lusitano de Évora e o Lusitano Moncarapachense, no campo Estrela em Évora. Jogo esse com importância para ambas as equipas, pois ainda ambas conseguem ir disputar a fase de subida à Liga 3.

João Nivea, técnico de Évora, apresentou um onze para jogar de linhas abertas, apostando na velocidade de Marcos Soares e Rafael Gonzalez para aprofundar os corredores laterais, diga-se que bem o fizeram, chegando com mais facilidade pela ala direita ao meio campo contrário.

Já o Lusitano Moncarapachense pareceu adormecido durante os noventa minutos, sem eficácia nos lances nem na posse de bola. Mas a verdade é que José Bizarro, pareceu contente com a equipa, que pouca indicação deu para dentro de campo e fez apenas uma substituição em cima do minuto 90.

Todo o jogo podia ter sido bastante interessante, não fosse a fraca arbitragem de Gonçalo Carreira e sua dupla de assistentes Bruno Vieira e Paulo Encarnação, que deixaram dois penalties por marcar, mãos na bola, mãos nas costas e ainda um segundo amarelo por dar. Ainda mais desinteressante acabou por ficar este jogo, com a atitude antijogo da equipa de Moncarapacho, que também nada foi assinalado por Gonçalo Carreira, para mudar a atitude.

Ainda assim no meio de tanta irregularidade, conseguiu-se ver um Lusitano de Évora inteiramente ligado no seu estilo de jogo, com uma mentalidade atacante. Com maior posse de bola, notoriamente, variando flancos, para chegar ao último terço. Pouca sorte e pouca eficácia apenas no momento de golo.

Nota: É lamentável, no Campeonato de Portugal, onde por vezes se vê bom futebol ainda haver uma fraca arbitragem.

Texto e Fotografias: Roberto Pingas Rodrigues

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,799FãsCurtir
12,697SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
288InscritosInscrever