Madrid: Muito Mérito, Pouca Sorte

Madrid: Muito Mérito, Pouca Sorte

Madrid reabriu as portas para receber uma novilhada de verdadeiras promessas: António Santana Claros, Isaac Fonseca e Alvaro Burdiel ante os serios astados do Exmo. Sr. Conde de Mayalde.

Mais que um espetáculo, uma corrida é uma declaração. Os seus intervenientes buscam, continuamente, afirmar-se neste mundo, tão exigente e desconhecido. E nesta fecha, relevante para o futuro da tauromaquia, apresentaram-se três novilheiros em bom momento e uma ganadaria quase no topo.

Antonio Santana Claros é um dos novilheiros mais reputados do momento. Não teve sorte com o seu lote, o mais complicado da corrida. O seu primeiro novilho, sério e ancho de sienes, saiu reservado, abanto e foi a menos, não permitindo a António revelar-se como desejaria. Na sorte suprema, ao volapié, teve valor, verdade, entrou por direito, mas foi colhido e ferido. Teve mérito mas nada mais. O seu segundo, alto e de mais peso da tarde, redimiu-se. Depois de uma sorte de varas interessante, na qual o novilho revelou casta e entrega, pouco sobrou. António esteve esforçado, entregado e usou o que restava do seu astado. Mas pouco ou nada conseguiu. De uma estocada rematou a sua segunda hipótese na mais importante praça do mundo, da qual pouco leva além da sua evidência. 

 Isaac Fonseca é um toureiro. Compreende, como poucos na sua geração, o temple, a cadência e os tempos de uma lide. Depois de sucessos como o de Valência, no mês passado, vem a Madrid mostrar o seu bom momento. No primeiro revelou a sua boa noção de toureio ante um novilho que não permitiu o seu triunfo. Esforçou-se, matou com verdade mas não retirou qualquer proveito. No seu segundo, um castanho claro, revelou-se. Depois de uma primeira tanda, de rodilla en tierra, espraiou um toureio maduro e em redondo. Notou-se a sua inspiração e desejo de triunfar mais que tudo. O novilho, bravo, foi a mais e com classe. No fim de uma simbiose de casta e nobreza, que pareceria trazer a primeira orelha da tarde, o novilheiro pinchó, duas vezes. O seu entusiasmo realçou, tendo a terceira estocada findado dignamente o bravo novilho e despoletado as emoções do diestro, que não conseguiu qualquer reconhecimento. O esforço compensa mas nem todas as tardes são de triunfo.

Com um percurso notável, em particular na escola de toureio de Madrid, Álvaro Burdiel veio à mais importante praça do mundo para lançar-se ao estrelato. Coube-lhe, dada a ordem de alternativas, o terceiro da tarde. Sérioancho de sienes e castanho escuro, como o primeiro da corrida, tinha classe, bom recorrido e foi bravo. Mas ficou fragilizado por uma voltereta, no início da faena de Alvaro, que retirou ao novilho a sua capacidade plena para a lide. O toureiro conseguiu apenas duas séries com algum mérito mas sem qualquer brilho. E na primeira estocada, que executou mal e receoso, pinchó. Ainda que corrigida na segunda, não lhe permitiu qualquer troféu. O seu segundo distinguiu-se nas varas, com intenção e raça, e mais ainda na sua muleta. Teve temple, garbo e muito interesse, estando toda a praça enquadrada na sua faena. O novilho, com qualidades, deu um dos momentos mais importantes da tarde. Mas Alvaro pinchó. Matando à segunda, e traseira, não conseguiu qualquer prémio.

#Praça de Toiros de Madrid

9ª da Feria de San Isidro

Dois terços de entrada. 

——

Toiros do Exmo. Sr. Conde de Mayalde.

Bem apresentados, sérios e em tipo.

Encastados e variados no geral.

  • Santana Claros | silencio e silêncio
  • Isaac Fonseca | ovação e volta 
  • Alvaro Burdiel | silencio e palmas

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

28,492FãsCurtir
12,914SeguidoresSeguir
294SeguidoresSeguir
176InscritosInscrever