Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Marcos Bastinhas sobre o mano-a-mano em Elvas: “O João tem construído uma boa carreira e está sempre a um nível alto”

Marcos Bastinhas sobre o mano-a-mano em Elvas: "O João tem construído uma boa carreira e está sempre a um nível alto"

Marcos Bastinhas sobre o mano-a-mano em Elvas: “O João tem construído uma boa carreira e está sempre a um nível alto”, disse, em entrevista ao Infocul.pt.

O Coliseu Rondão de Almeida recebe, amanhã, um mano-a-mano entre João Moura Jr. e Marcos Bastinhas, naquela que é a primeira corrida da Feira Taurina de Elvas.

Em praça, além dos cavaleiros, estarão os forcados Amadores de Évora e os Académicos de Elvas, frente a touros das ganadarias de Veiga Teixeira, Murteira Grave e Romão Tenório.

O cavaleiro Marcos Bastinhas concedeu uma entrevista ao Infocul, para abordar a corrida, um pequeno balanço da temporada até ao momento e ainda a preparação que a sua quadra tem.

Marcos começou por destacar que “tem sido uma temporada muito bonita, com lides importantes, dentro daquilo que idealizo e quero“, acrescentando que “preparo-me para todas as corridas exactamente da mesma maneira e não distingo as praças pois não há público de primeira e público de segunda, todas as praças merecem o meu respeito“.

Sobre o seu colega de cartel, reconheceu que “o João tem construído uma boa carreira e está sempre a um nível alto, neste momento, perante o momento em que estamos, é um cartel altamente atractivo e competitivo“.

Sobre o rei da festa, o touro, Marcos analisou as três ganadarias que estarão presentes nesta corrida: “São 3 ganadarias muito interessantes, com muito pontos fortes. A ganadaria Murteira Grave está a atravessar um momento importante e tenho tido lides fenomenais com esses toiros; A ganadaria Veiga Teixeira é também ela uma ganadaria das chamadas ganadarias duras onde a emoção e o risco estão sempre presentes e a ganadaria Romão Tenório tem outro tipo de toiro, mas que quando sai bem deixa desenhar lides muito bonitas e templadas“.

Sobre a sua quadra, disse-nos que actualmente “é composta por 14 cavalos e todos os dias têm de ser trabalhados pois são tratados como atletas e tento que estejam sempre num nível elevado de preparação com trabalho de picadeiro e tentadero para que caso haja alguma lesão ou outro tipo de factor que impeça que algum dos chamados titulares actue, esteja outro sempre preparado.
Normalmente levo sempre 9 cavalos para as corridas e consoante o toiro que saia escolho o cavalo que penso que se possa adaptar melhor a esse toiro
“, disse.

Para esta corrida, reforçou, “como disse anteriormente, para mim, o público juntamente com o toiro são o elemento fundamental das corridas, e por isso merece sempre todo o respeito e que em todas as corridas dê sempre o meu melhor, e Elvas não é excepção e vou com todas as ganas de triunfo“, disse, visivelmente motivada para esta corrida.

E se na tauromaquia é ídolo de muitos e muitos aficionados, a verdade é que Marcos acaba por viver e entregar-se completamente à família, até porque “a família é o ponto central da minha vida, a vida é muito curta para ser vivida sozinho e por isso vivo para a família. Tenho a sorte de ter uma família maravilhosa e faço de tudo para terem orgulho na pessoa que sou“, disse-nos.

E se em praça é um verdadeiro vulcão em constante erupção e com forte ligação ao público, no dia-a-dia acaba por ter uma postura mais pacata e tímida, até. “No dia a dia sou muito calmo e descontraído, chegando a arena vem a paixão, vem o sentimento, vem a adrenalina e então transcendemo-nos e libertamos tudo o que temos dentro“.

Marcos Bastinhas abordou ainda a importância de se esgotar a lotação permitida no Coliseu de Elvas: “É uma importância a nível de corrida a corrida irmos mostrando o nosso valor e que as corridas de toiros são elemento importante da cultura portuguesa“.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
114InscritosInscrever