Montemor foi praça cheia para ver três diferentes estilos de toureio

Montemor foi praça cheia para ver três diferentes estilos de toureio, este domingo, 4 de Setembro de 2022.

A Praça de Touros de Montemor-o-Novo abriu portas novamente na temporada de 2022, para mais uma corrida de touros. Para um curro, de São Torcato, com muita expectativa, Paulo Vacas, promotor do evento, elaborou um rematado cartel composto por Luís Rouxinol, João Moura Jr. e Francisco Palha.

Pegou em solitário o Grupo da terra que comemorou 83 anos neste mesmo dia e teve um dia repleto de amizade e companheirismo, começando com uma missa, seguindo da fardaçao onde se reencontraram velhos amigos.

As cortesias decorreram ao som de “Cavaleiro com Cartel” composto pelo montemorense Nicolau Catita em homenagem ao cavaleiro Luís Miguel da Veiga.

A lotação da praça ficou esgotada a poucos minutos do início do festejo.

Abriu praça Luís Rouxinol enfrentando o número 14. O cavaleiro entendeu bem o oponente e teve uma lide em tom crescente. Bons pormenores de toureio foram deixados dentro do areal de Montemor. As ferragens curtas resultaram maioritariamente corretas, tirando a cravagem do quarto ferro que levou o cavaleiro a trocar de montada e a rematar a lide com um ferro de violino e um palmito de agradável nota. Francisco Barreto consumou à primeira tentativa fechando-se bem, dando resposta à pronta investida do touro. Voltas autorizadas ao cavaleiro, forcado da cara e Nuno Campelo que se despediu da pele de forcado nesta tarde.

João Moura Jr. ‘armou o taco’ ao dar total vantagem ao oponente. Iniciou a lide com uma vistosa sorte gaiola e daí foi sempre a somar pontos à lide. João, nos curtos fez das coisas mais difíceis que há nas lides a cavalo, deu total vantagem ao oponente, citando de praça a praça, esperando o oponente junto de tábuas, carregou ao píton contrário e cravou ao estribo em dois dos ferros curtos. Vasco Carolino consumou à primeira tentativa. Volta autorizada a cavaleiro, forcado da cara e ganadeiro.

Menos sorte teve Francisco Palha com o touro que lhe tocou em sorte. Touro reservado, complicado no momento da reunião que dificultou e muito a exibição do ginete. Iniciou também com uma sorte gaiola bem executada mas por defeitos do oponente a lide viria a menos na cravagem dos curtos. João da Câmara, fez a sua despedida enquanto forcado, consumou à primeira tentativa. Volta autorizada a cavaleiro, forcado da cara e a João Pires que também se despediu de forcado.

Durante o intervalo brindou-se o grupo de Forcados da terra com fotografias entre os actuais e antigos elementos do grupo que desceram até ao areal.

De regresso às lides, com Luís Rouxinol a levar a melhor sobre o oponente. Lide bem desenhada que foi a mais com o cavaleiro a tapar alguns defeitos do oponente. Nos compridos a primeira cravagem resultou descaída seguida de uma corrigida. Nos curtos a lide evoluiu com uma lide muito correta do cavaleiro de pegões. Rematou a lide com um par de bandarilhas e um ferro de palmo. António Pena Monteiro e Francisco Godinho, brindaram a João Cortes, avô de António, e executaram a pega de cernelha à segunda entrada. Volta autorizada a cavaleiro e forcados.

De novo João Moura Jr a chegar com alegria e emoção as bancadas. João tem grande facilidade em colocar ‘no bolso’ o conclave de qualquer praça pela emoção que emprega nas lides e, hoje na segunda lide, mostrou isso mais uma vez. Cites a galope de dentro para fora fizeram o público saltar do banco para aplaudir o cavaleiro. Vasco Ponce brindou ao presidente da câmara e consumou com garra ao primeiro intento, tendo o grupo fracassado ao fechar mas o forcado da cara manteve-se na cara do touro. Volta autorizada a cavaleiro, forcado e ganadeiro.

Encerrou o espetáculo o cavaleiro Francisco Palha que iniciou a lide com uma sorte gaiola, esperando o oponente no centro da arena, abrindo quarteio para cravar ao estribo. Seguiu-se mais um ferro comprido de praça a praça com vantagens do touro, bonito ferro. Na fase da ferragem curta, o cavaleiro apostou na brega ladeada e cites em curto, mas vistosos mesmo foram os remates que o cavaleiro fez com a cara do touro. Emotiva lide do cavaleiro Francisco Palha. Encerrou a noite Francisco Borges a consumar a pega à terceira tentativa depois de na primeira o grupo não ter sido eficaz a fechar e na segunda ter havido algum desentendimento entre forcado e touro. Volta autorizada a cavaleiro e forcado, que entendeu não dar a volta.

O curro da ganadaria São Torcato saiu com diferentes comportamentos, diferentes pelagens mas muito bem rematados, apresentando uma fisionomia bem composta.

A corrida fica marcada pela entrega de Rouxinol, pela emoção de Moura Jr. e pela garra de Palha.

Dirigiu Agostinho Borges, assessorado por Feliciano Reis, médico veterinário e José Henriques marcou presença no cornetim.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

28,653FãsCurtir
12,907SeguidoresSeguir
300SeguidoresSeguir
180InscritosInscrever