Nazaré: Azambuja vence concurso de pegas, mas a noite foi de Francisco Palha

Nazaré: Azambuja vence concurso de pegas, mas a noite foi de Francisco Palha, com duas lides de qualidade.

Nazaré: Azambuja vence concurso de pegas, mas a noite foi de Francisco Palha

Texto: Rui Lavrador

A Praça de Touros do Sítio da Nazaré acolheu, este sábado – 5 de Agosto, a 2ª corrida de touros da sua temporada.

Frente a touros da ganadaria de Manuel Veiga, actuaram Francisco Palha, Luís Rouxinol Jr. e António Ribeiro Telles [filho], bem como os forcados amadores de Azambuja, Aposento da Chamusca e Clube Taurino Alenquerense.

Uma corrida de touros que apresentava como principais aliciantes um concurso de pegas e ainda a competição entre jovens cavaleiros, dois com estatuto mais vincado e um outro com desejos de almejar atingir o patamar de figura do toureio nacional.

A primeira nota, e que influenciará o que verá escrito abaixo, vai para o som da Praça da Nazaré, mais uma vez a não serem perceptíveis as palavras que ali foram ditas na sua maioria. Especialmente grave, na questão dos forcados. A pouca clareza do discurso e de informação do speaker também não ajuda. É o ponto mais negativo de actualmente assistir-se a uma corrida na Nazaré.

Quanto à corrida em si, destaca-se Francisco Palha como triunfador, Rouxinol Jr. com uma primeira lide muito boa e António Telles [filho] com lide de enorme qualidade ao último touro da noite.

O concurso de pegas foi ganho pelos forcados da Azambuja, não podendo aqui reproduzir o nome do forcado porque… o som estava mau.

Após as cortesias, foi prestada homenagem a Rui Bento Vasques, pelos 35 anos de alternativa. Rui Bento Vasques é matador de touros e o actual empresário que produz as corridas nesta praça (bem como em Almeirim).

Francisco Palha abriu praça, frente a um touro colaborante, com alguns arreões. O ginete esteve muito seguro em toda a execução da sua função. Entendeu rapidamente o oponente, deixando dois ferros compridos. Elevou a fasquia na cravagem dos dois primeiros curtos, com reuniões harmoniosas, baixou um pouco a qualidade no terceiro ferro curto e terminou o espectáculo em alegria, com dois palmitos, intercalados por um ferro curto em sorte de violino. Actuação com bom ritmo e a denotar grande inteligência de Palha.

A primeira pega, a cargo  dos amadores de Azambuja, foi concretizada ao primeiro intento e com grande qualidade.

Grande actuação de Luís Rouxinol Jr. Belíssimo touro de Manuel Veiga, bravo, com codicia, toda a lide com motor e a investir sempre. O ginete esteve francamente bem na sua actuação, começando logo na forma como recebeu o touro, com duas voltas à arena de grande emoção. Após a cravagem dos compridos, já de boa nota, elevou a fasquia na ferragem curta, onde esteve muito assertivo no momento das reuniões, depois de sortes muito bem desenhadas. Lide com grande emotividade e categoria.

Pega concretizada pelo Aposento da Chamusca ao segundo intento.

Muito bem a directora de corrida, Ana Pimenta, a atribuir volta ao ganadeiro.

António Ribeiro Telles [filho) desenhou uma actuação positiva, mas sem romper em triunfo. Percebeu rapidamente as distâncias que o touro lhe exigia, um touro com muito poder, incerto, mas ao qual o ginete conseguiu dar a volta. Lamenta-se o excesso de intervenção dos bandarilheiros.

Pega concretizada ao primeiro intento, pelo grupo de forcados do Clube Taurino Alenquerense. Volta autorizada ao forcado da cara e ao primeiro ajuda.

Francisco Palha voltou a estar muito bem, com alegria, fulgor e atrevimento. O “Rebel Heart” da tauromaquia esteve numa noite em que, pelo menos a mim, deu gosto em vê-lo na arena. Teve muita personalidade no seu toureio, mas percebeu o público da Nazaré. Uma actuação baseada na técnica e no risco, culminando numa vertente mais espectacular. É bom ver Palha a sorrir e a tourear assim. É um toureiro de inegáveis qualidades,

Pega concretizada ao primeiro intento, pelos amadores de Azambuja.

Luís Rouxinol Jr teve uma actuação mais intermitente e sem a qualidade da primeira. Houve momentos muito bons com outros maus, destacando-se dois curtos de muito mérito. É um cavaleiro de garra, mas deverá aprender melhor a exteriorizar essa garra. Tecnicamente teve alguns momentos de menor valia. Ainda assim, lide positiva do dinástico toureiro.

Pega concretizada ao primeiro intento, pelos forcados do Aposento da Chamusca.

A última lide da noite foi de António Ribeiro Telles [filho] e que belíssima actuação teve o cavaleiro da Torrinha. Novamente com excesso de intervenção dos bandarilheiros na fase inicial da lide. Porém, na fase da ferragem curta, viu-se um toureiro com maturidade artística acima da idade. Um compêndio de sortes bem desenhadas, reuniões ajustadas, remates com emoção e o público rendido a uma performance de enorme qualidade. Muito Bem, António Ribeiro Telles [filho].

Pega concretizada ao segundo intento, pelo Clube Taurino Alenquerense.

A revelação do vencedor do Prémio para a Melhor Pega voltou a ser um quebra cabeças. O som, principalmente no sector 2 (onde o que vos escreve estas palavras, estava sentado) chega a ser irritante. Venceu o Grupo de Azambuja, pela pega ao quarto touro da corrida.

Inicialmente houve um empate, porém após conversa com os 3 cabos dos grupos actuantes, foi tomada essa decisão. Ficou por saber entre que pegas houve o empate, mas isso é um pormenor.

Noite de ambiente extraordinário na Nazaré, com três quartos de casa, um belíssimo curro de touros da ganadaria de Manuel Veiga, com volta do ganadeiro à arena no 2º e 6º, e Rui Bento Vasques a ter duas excelentes corridas na Nazaré. A próxima é a 19 de Agosto.

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,799FãsCurtir
12,697SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
288InscritosInscrever