Nininho Vaz Maia emocionou o Campo Pequeno com concerto de absoluta verdade

Nininho Vaz Maia emocionou o Campo Pequeno com concerto de absoluta verdade, na noite de ontem.

Nininho Vaz Maia emocionou o Campo Pequeno com concerto de absoluta verdade

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Diogo Nora

Impressionante e magnânimo, podem ser duas das classificações para o concerto de Nininho Vaz Maia, este sábado – 2 de Dezembro, no Sagres Campo Pequeno.

Avelino Vaz Maia, conhecido artisticamente como Nininho Vaz Maia, nasceu em Lisboa no ano de 1988, tendo crescido nas Olaias, no antigo bairro da Curraleira.

Actualmente é um fenómeno nacional, mas a sua vida foi feita de luta e algum sofrimento. Porém, atravessa o melhor momento da carreira e esgotou por completo o Sagres Campo Pequeno, que durante mais de duas horas pulou, gritou, cantou, riu e chorou com as canções do cigano mais adorado de Portugal.

Nininho é filho de pai de etnia cigana e de mãe não cigana, mas nesta noite honrou a esplendorosa cultura musical cigana, que consegue mesclar bem com a pop, o flamenco, as rumbas e os tangos. Nas baladas, consegue fazer sobressair o seu aparelho vocal.

Com 35 anos, trabalha desde os 16, altura em que deixou a escola para dedicar-se aos negócios familiares, sendo que nessa altura já gostava de música, pela qual havia uma paixão não totalmente explorada.

Na música, começou a ser conhecido em 2013, tendo já revelado em entrevistas que, numa altura em que estava a cumprir um ano de prisão domiciliária depois de se ter envolvido numa rixa entre dois grupos, começou a pegar na sua guitarra e a enviar vídeos para a irmã, de forma a combater o tédio. A irmã passou à prima e esta colocou no Youtube. Daí até ao patamar em que está hoje foram alguns anos de trabalho árduo.

Agora, tem a recompensa de uma vasta legião de fãs que o abraça como um familiar e o ‘leva ao colo’ em cada concerto, tal o carinho que lhe dedica.

Para a sala lisboeta, preparou um palco de grandes dimensões, com um ‘golden circle’ no meio. Excelente desenho de luz, bem na componente pirotécnica e de vídeo. A sua banda esteve extraordinária em todo o concerto, permitindo que Nininho voasse até onde os seus sonhos almejam.

A verdade de Nininho esteve presente em todo o concerto, que na forma como interpretou os temas, quer nos momentos em que conversou com o público, como demonstrou toda a sua gratidão e amor a quem lhe tem permitido fazer este caminho e ainda nos momentos em que algumas fãs puderam subir a palco para com o seu ídolo cantar e dançar.

Com letras simples, numa mescla linguística entre Portugal e Espanha (em parte fruto da relação de Nininho e Triana, uma espanhola talentosa), Nininho canta situações da vida de todos nós, num estilo musical peculiar e que é tão só seu.

No Campo Pequeno, a festa foi multicultural, envolvente e teve muitos momentos para “pandigar”, termo que Nininho refere como de partilha de emoções entre as pessoas que mais se amam.

Destaque para o dueto entre Nininho Vaz Maia e Tony Carreira, em ‘Volta’, que integra o último disco do cantor ‘gitano’, tendo esta sido a primeira vez em que o cantaram ao vivo.

A música portuguesa tem em Nininho um ídolo do presente. Dele depende ser um dos alicerces do futuro na música portuguesa. Vamos a isso, Nininho?

Alinhamento:

Intro
Aguenta coração
Estou chateado
^Bailando
Te quiero
Não vou
Suena que suena
Não sou perfeito
Foste embora
Dime porque
Metamorfose
A mim manera
Momento musical com Jairo e Nininho
Medley de Tangos
Quiero bailar
Volta (com Tony Carreira)
Bebé
Onde nasci
E agora
Gosto de ti (Nininho e os filhos)
Soy Gitano

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,779FãsCurtir
12,747SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
277InscritosInscrever