Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Polémica nas audiências: Denúncia de fraude apresentada na PGR

Polémica nas audiências: Denúncia de fraude apresentada na PGR

Polémica nas audiências: Denúncia de fraude apresentada na PGR, cria mais uma guerra entre a TVI e a SIC.

O jornal “Tal & Qual” deu conta de que a Procuradoria-Geral da República (PGR) recebeu uma denúncia quando às audiências geridas pela GFK.
A GFK reagiu e “repudia, em absoluto, a tentativa de, infundadamente, descredibilizar sistema de medição de audiências televisivas”.

No comunicado enviado às redações, a GFK afirma que “não recebeu qualquer confirmação formal sobre a aludida investigação por parte da PGR e repudia, em absoluto, a tentativa de, infundada e injustamente, descredibilizar o sistema de medição de audiências televisivas”.

Refe ainda que “a metodologia e a forma como a GFK conduz a medição de media, quer para a CAEM, quer para quaisquer outros clientes, obedece a critérios de total rigor e estão de acordo com os procedimentos de controle de qualidade para serviços de medição de audiências, com as regras estabelecidas dos estudos de mercado e com as diretrizes das associações de pesquisa de mercado e sociais, nomeadamente os padrões da ESOMAR e as diretrizes do GGTAM”.

Se a “investigação assim o exigir envidará todos os esforços para repor a verdade, reiterando que cumpre e sempre cumpriu com total rigor e ética os serviços de medição de audiências televisivas”.

A SIC reagiu a esta situação através de comunicado:

No seguimento da notícia publicada hoje no semanário Tal & Qual, e posteriormente veiculada pelo canal TVI24, na qual se diz que terá sido denunciada “uma combinação entre o grupo Impresa (SIC) e a empresa que mede as audiências para, alegadamente, aumentar artificialmente os números do canal de Francisco Pinto Balsemão”, o que terá despoletado uma investigação do DCIAP, a SIC e o Grupo Impresa informam que:

– não estão a par de qualquer investigação nem foram contactados pelas autoridades sobre este assunto;

– é absolutamente falsa, de má-fé e lesiva a acusação que o Tal & Qual e a TVI tentam fazer passar de concertação entre SIC e a empresa que mede as audiências para a CAEM, a GfK;

– tal como o resto do mercado, representado pela CAEM (que agrega anunciantes, agências e meios de comunicação social), exceto, aparentemente, a TVI, confiam no sistema de medição de audiências em vigor, algo que acontecia mesmo durante os anos em que a SIC não foi líder de audiências;

– reservam-se no direito de recorrer aos meios legais ao seu dispor para defender a sua reputação”.

Por sua vez, a TVI reagiu ao comunicado da SIC:

“A notícia hoje publicada, em primeira mão, pelo Jornal Tal e Qual, posteriormente veiculada por diversos Órgãos de Comunicação Social e confirmada oficialmente pela Agência Lusa junto da Procuradoria Geral da República (PGR), diz respeito à abertura de um processo de investigação sobre suspeitas de uma eventual adulteração de audiências televisivas por parte da empresa GFK em favor do canal televisivo SIC.

A TVI limitou-se a noticiar uma investigação da PGR, confirmada oficialmente, como tantas vezes acontece em relação aos mais variados temas e assuntos. É completamente falsa e sem sentido a acusação feita pelo Grupo Impresa e SIC de que existiu má fé por parte da TVI.

A TVI não quer contribuir para transformar este tema numa fonte de atrito entre canais televisivos, criando um ruído artificial para desviar as atenções do que é realmente importante.

O que está em causa é o apuramento da verdade e a assunção de eventuais responsabilidades, caso essas existam, manifestando o Grupo Media Capital e a TVI total disponibilidade para colaborar com as autoridades numa investigação séria, rigorosa e serena.

A TVI quer acreditar que todos os principais players do setor do audiovisual e do meio televisivo nacional estão interessados na melhoria do sistema e dos mecanismos de regulação e medição das audiências em prol da transparência no setor.

Sobre isso, a TVI tem veiculado à direção da CAEM as suas reflexões críticas, por entender que este é o fórum próprio para que sejam analisadas e quaisquer medidas corretivas sejam implementadas”.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever