Sábado, Maio 15, 2021

Sexo: Metade das mulheres já foi contra a sua vontade para agradar aos companheiros

Sexo: Metade das mulheres já foi contra a sua vontade para agradar aos companheiros

Sexo: Metade das mulheres já foi contra a sua vontade para agradar aos companheiros, refere um estudo.

Mais de três quartos das mulheres dizem ter ido, alguma vez, contra a sua vontade para agradar ao companheiro e cerca de metade teve mesmo práticas sexuais não desejadas, revela um inquérito sobre o equilíbrio de poder nas relações.

A situação é corroborada pelos homens, com 90% a confessar que, na hora da intimidade, as companheiras já acederam aos seus desejos, mesmo sem vontade.

Mais de 75% das mulheres dizem que, em algum momento da relação, se anularam ou foram contra a sua vontade para agradar aos companheiros.

Cerca de 60% fizeram-no pelo menos uma vez e 11,9% muitas vezes, enquanto que, para 5,1%, esta é uma situação comum na vida diária.

Os dados são de um inquérito realizado em março pela marca portuguesa Flame Love Shop, em que participaram mulheres e homens, com o objetivo de conhecer alguns aspetos sobre o equilíbrio de poder nas relações.

Os resultados revelam que as mulheres têm ganho poder no contexto da relação, mas que ainda subsiste algum domínio masculino, em termos emocionais e sexuais“, explica Irina Marques, especialista em Sexologia Educacional e diretora da Flame Love Shop.

De acordo com os resultados do inquérito, os homens têm consciência que elas lhes fazem as vontades: 75,5% confessa que as companheiras se submetem algumas vezes ou quase sempre ao que eles querem, contra os seus próprios desejos.

Mesmo assim, quase 90% dos homens considera que as mulheres têm o mesmo poder para decidir sobre os aspetos que afetam a relação.

Para ganhar ou equilibrar a relação de poder nos relacionamentos, “a mulher deve procurar o conhecimento de si própria, do seu lado emocional, mas também do seu corpo; aceitar-se como é e tirar vantagem das suas caraterísticas únicas; fazer valer e não ter medo de falar sobre os seus desejos; e, também, não deixar que os comportamentos abusivos se tornem uma prática na relação“, aconselha Irina Marques.

Metade já teve práticas sexuais sem vontade

Em termos sexuais, cerca de metade das mulheres inquiridas (49,2%) já teve práticas para agradar o companheiro, mesmo sem vontade.

Deste grupo, perto de 45,8% fê-lo pelo menos uma vez e 3,4% muitas vezes.

Mais de 90% dos homens admitem que esta situação já aconteceu, sendo que para 57,8% algumas vezes, 22,2% muitas vezes, 8,9% quase sempre e 2,2% sempre.

Apesar da larga maioria das mulheres (78%) considerar ter uma atitude à-vontade, livre ou atrevida face ao sexo, 20,3% ainda sente timidez ou vergonha na hora da intimidade, sobretudo por falta de confiança com o seu corpo ou baixa auto-estima (35,3%), por traumas e bloqueios (23,5%) e até medo do parceiro a poder considerar vulgar (11,8%).

Por seu lado, 13,3% dos homens reconhecem que as companheiras são tímidas ou envergonhadas no sexo, sendo que as principais razões estão relacionadas com a falta de confiança no corpo ou baixa auto-estima.

Três quartos sentiram medo da masturbação

Mais de três quartos das mulheres (76,2%) já tiveram medo de se masturbar, sendo as principais razões vergonha (42,9%), não saber fazê-lo (33,3%) ou medo de críticas (14,3%).

No que se refere ao orgasmo, 64,5% já fingiu alcançá-lo, sendo que 39% algumas vezes, 15,3% muitas vezes e 10,2% pelo menos uma vez.

Quase 20% (17,8%) dos homens já sentiu que as companheiras estavam a fingir o orgasmo, 11,1% mais do que uma vez.

De referir ainda que 35,7% das mulheres inquiridas dizem que a relação atual não vai bem, demonstrando dúvidas (15,3%), tristeza (15,3%), medo (3,4%) ou até raiva (1,7%) na hora de fazer uma avaliação.

Cerca de metade (47,5%) já viveu uma relação abusiva, sendo que destas 32,2% falam de pressões psicológicas e 11,9% de agressões físicas. Em consequência destas relações, 37,9% ficou abalada, 31% depressiva, 20,7% sem ação/reação e 10,3% com muito medo.

Avatar
Redacçãohttp://www.infocul.pt
Redacção oficial do site infocul.pt

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,969FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
89InscritosInscrever