Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Sobral de Monte Agraço: Rouxinol Jr. triunfa com grande maturidade

Sobral de Monte Agraço: Rouxinol Jr. triunfa com grande maturidade e Palha e Dias Gomes destacam-se, em corrida agradável.

A Praça de Touros do Sobral de Monte Agraço recebeu, este domingo, a primeira de duas corridas da Feira Taurina, que assinala o centenário deste tauródromo.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Catarina Pedro

Frentes a touros da ganadaria de Pontes Dias, actuaram os cavaleiros Francisco Palha e Luís Rouxinol Jr. (que substituiu Manuel Telles Bastos, devido a lesão) e o matador Manuel Dias Gomes.

Antes das cortesias foi descerrada uma placa celebrativa do centenário da praça de touros. Após as cortesias, foi guardado um minuto de silêncio em memória de António Garçoa, João Aranha e Jorge Sampaio. Foi ainda entregue, pelo empresário José Luís Gomes, um quadro ao presidente da câmara, presidente da misericórdia de Sobral de Monte Agraço, responsável pela ganadaria Pontes, Dias, aos toureiros (Palha, Rouxinol Jr. e Manuel Dias Gomes) e ao cabo dos Amadores de Lisboa.

Francisco Palha abriu praça frente a um bom touro da ganadaria de Pontes Dias, mas ao qual era necessário perceber as distâncias. O cavaleiro esteve longe do brilho e da qualidade que lhe reconhecemos. Vários toques na montadas, uma ou outra passagem em falso e nem sempre a entender bem o touro. Pela positiva, destaca-se o muito bom terceiro ferro curto, com sorte ajustada e bem rematada, aguentando a investida do touro.

Miguel Santos concretizou a pega ao terceiro intento, com o primeiro ajuda a a carregar bem.

Luís Rouxinol Jr. dedicou a sua lide a Manuel Telles Bastos, que ontem sofreu violenta colhida. Uma boa lide a um touro mais reservado, do que o primeiro, entendendo bem as distâncias, destacando-se uma brega eficiente. Um toque no momento da cravagem do primeiro curto, não retira mérito a uma boa lide, na qual se destacam dois curtos de boa nota, com sortes bem desenhadas e reunindo correctamente.

António Galamba concretizou ao terceiro intento, após duas reuniões mal conseguidas, nas primeiras duas tentativas.

Manuel Dias Gomes enfrentou um touro complicado, que teve investida curta no capote, muito perigoso de mirada e sempre à espreita do momento para colher o matador, mas a quem mesmo assim Dias Gomes teve bem por chicuelinas, no capote. No tércio de bandarilhas, estiveram irregulares os bandarilheiros, destacando-se apenas um bom par de Cláudio Miguel. Na muleta, o touro esteve constantemente atento ao matador e necessitava que Manuel Dias Gomes fizesse tudo muito devagar e que “lhe enchesse a cara” com a muleta. Sempre que isto não acontecia, o touro tentava colher o matador. Dias Gomes teve momentos de grande profundidade, destacando-se uma tanda pela direita, com temple e estética. Actuação positiva, frente a um touro com muitas nuances para serem rapidamente entendidas.

Francisco Palha enfrentou um bom touro, apenas com alguma falta de força nas mãos, mas que permitiu lide de muito bom nível a Palha. Abriu com uma sorte gaiola de muita qualidade, reunindo no centro da arena. Seguiu-se mais um comprido de bom nível e na série de curtos, Palha esteve ao nível que se lhe reconhece. Dois primeiros curtos de grande qualidade, desenhando bem as sortes, reunindo ajustadamente. Terminou com três palmitos, numa actuação muito bem conseguida. Assim, sim. É este o Francisco Palha que os aficionados esperam e gostam.

Nuno Santos saiu lesionado da primeira tentativa, sendo retirado de maca, após perda de sentidos. Foi dobrado por Daniel Batalha, sendo a pega concretizada ao segundo intento efectivo do grupo. Poucos minutos depois, foi anunciado que o forcado Nuno Santos está já recuperado e consciente.

Luís Rouxinol Jr. esteve muito bem, frente ao quinto touro da corrida. Começou por se dobrar muito bem com o touro no centro da arena, num excelente início de lide. Dois compridos de boa nota, antecederam uma série de curtos de excelente nota. Brega muito em justo com o oponente, boa escolha de terrenos e a avançar de frente para o touro, reunindo a preceito. O penúltimo curto é de muito mérito, com o touro a levantar a cara no momento da reunião, num momento de grande espectacularidade.

Tiago Silva concretizou a pega ao segundo intento, após uma primeira tentativa nada ortodoxa e que correu mal.

Manuel Dias Gomes recebeu o oponente de joelhos em terra e com larga afarolada. Depois continuou por verónicas, de forma suave. Nas bandarilhas, três bons pares de Pedro Noronha e João Ferreira (2), tendo Ferreira saudado de montera em mão. Na muleta, perante um touro com fraca investida, Dias Gomes esteve muito por cima do touro. Inventou uma faena, onde muitos nada fariam. Um touro manso, com escassa força e qualidade, ao qual Dias Gomes inventou uma faena, com suavidade, profundidade. Manuel Dias Gomes é um artista de fino recorte e se isso se vê frente a touros de qualidade, vê-se ainda melhor frente a maus touros, porque consegue criar o que à partida não existia.

Corrida dirigida por Sandra Strecht, assessorada por José Manuel Lourenço. A praça registou excelente moldura humana.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever