Sporting venceu Marítimo com final à Hitchcock

Sporting venceu Marítimo com final à Hitchcock, este sábado, por 2-1.

Sporting venceu Marítimo com final à Hitchcock

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

Equipas Titulares

Sporting: Adán, Diomandé (Ricardo Esgaio, 63), Coates, Matheus Reis (Morita, 45), Bellerin (Nuno Santos, 45), Ugarte, Pedro Gonçalves, Arthur (Gonçalo Inácio, 45), Edwards, Paulinho e Trincão (Fatawu, 57).

Marítimo: Marcelo Carné, Moisés Mosquera, Zainadine, René Santos (Matheus Costa, 77), Paulinho, Diogo Mendes (Val Soares, 77), João Afonso, Xadas (Cláudio Winck, 90+3), Vítor Costa (China, 90+3), Félix Correia e André Vidigal (Bryan Riascos, 88).

Suplentes

Sporting: Franco Israel, Morita, Nuno Santos, Neto, Rochinha, Fatawu, Gonçalo Inácio, Ricardo Esgaio, Dário Essugo.

Marítimo: Makaridze, Cláudio Winck, Matheus Costa, Val Soares, Pablo Moreno, Chuchu Ramirez, Edgar Costa, Bryan Riascos e China.

Sporting e Marítimo defrontaram-se no Estádio José Alvalade, para a 32ª jornada da Liga Portugal Bwin.

O Sporting a sonhar ainda com o apuramento para a Liga dos Campeões, o Marítimo a lutar contra a despromoção à II Liga.

Rúben Amorim deixou todos os jogadores em risco de exclusão (por cartões amarelos) no banco e promoveu várias alterações no onze titular.

Os primeiros minutos foram divididos, com mais posse de bola para o Sporting, mas o marcador funcionou aos 10 minutos e para a equipa visitante.

O Marítimo numa jogada rápida e ao primeiro toque, marcou por Vítor Costa, desmarcado por Félix Correia (jogador formado em Alvalade, no Sporting). Coates ficou mal na fotografia ao falhar o corte e ao deixar a bola em Félix Correia.

O Sporting voltou a tomar conta das operações com várias aproximações à área, mas sem criar grande perigo.

O primeiro remate perigoso do Sporting, surgiu aos 29 minutos, por Paulinho, que Carné defendeu com segurança.

Muita parra e pouca uva, o Sporting a fazer várias chegadas à área, mas o Marítimo irrepreensível a defender e no posicionamento tático.

Uma situação de relativo perigo de Pedro Gonçalves, aos 43 minutos, que deixou a bola escapar junto da pequena área, foi o momento de maior destaque, após o remate de Paulinho aos 29 minutos.

Exibição paupérrima do Sporting, embora com mais posse de bola.

Marítimo a vencer ao intervalo, após concretizar a melhor oportunidade de golo da primeira parte. O sporting foi para os balneários debaixo de um coro de assobios.

Sporting venceu Marítimo com final à Hitchcock

Ao intervalo, Rúben Amorim efectuou alterações na equipa, com as entradas de Gonçalo Inácio, Morita e Nuno Santos, para as saídas de Matheus Reis, Bellerín e Arthur.

Os primeiros minutos da segunda parte, tiveram um Sporting a atacar, mas com os problemas da primeira parte, criando apenas algum sururu nas bancadas, uma jogada de Edwards na direita e um remate da esquerda de Nuno Santos, que Marcelo Carné defendeu de forma instintiva.

Amorim tirou Trincão e Diomandé e meteu Fatawu e Esgaio, cercando completamente o Marítimo, que ainda assim soube manter-se estável e seguro na defesa.

O Sporting ainda assim teve novas oportunidades por Pedro Gonçalves (voltou a deixar escapar a bola, já dentro da área e em posição perigosa) e Ugarte (remate de pé esquerdo à entrada da área, por cima da baliza).

Aos 74 minutos, Edwards executou um remate perigoso, que passou junto à barra da baliza.

Aos 79, isolado e com tudo para marcar perante Adán, Vidigal tentou sacar uma falta ao defesa leonino, sem que, no entanto, a mesma existisse.

A partir desta altura, alguns dos adeptos leoninos revoltaram-se e começaram a insultar Frederico Varandas, presidente do Sporting.

O Sporting chegou ao empate aos 85 minutos, através de um autogolo de Matheus Costa, a desviar para a própria baliza, um cruzamento da esquerda de Pedro Gonçalves.

Aos 90 minutos, grande remate de Nuno Santos, mas por cima da baliza defendida pelo Marítimo.

Na compensação, o Sporting deu a volta ao marcador, com golo de Coates, a encostar para a baliza ao segundo poste.

Mas o Marítimo voltaria a marcar por Bryan Riascos, aos 90+7 e na sequência do lance gerou-se confusão, com Adán a ser expulso, os bancos exaltos e os jogadores todos embrulhados uns com os outros. Após consulta do VAR, o golo foi anulado.

Final deprimente e à Hitchcock em Alvalade. Paulinho terminou a guarda-redes.

Árbitro: Tiago Martins
Árbitros Assistentes: Hugo Ribeiro e Francisco Pereira
4º Árbitro: Hugo Silva
VAR: André Narciso
AVAR: Paulo Brás

Assistência: 27.130 espectadores.

Disciplina: Cartão amarelo a Ugarte (27), Vidigal (40), Diomandé (51), Marcelo Carné (71), Félix Correia (90), Pedro Gonçalves (90+4), Bryan Riascos (90+4), Fatawu (90+4), Adán (90+5, 90+7)), João Afonso (90+11), Zainadine (90+11). Cartão vermelho a Adán (90+7)

Golos: Vítor Costa (10), Matheus Costa (Autogolo, 85), Coates (90+3).

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,799FãsCurtir
12,697SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
288InscritosInscrever