João Moura Jr. foi notícia no Polígrafo por acusação de bull-baiting

O cavaleiro João Moura Jr. voltou ontem a ser notícia, no Polígrafo SIC.

Depois do alegado caso de maus tratos a animais, por parte do seu pai (o cavaleiro João Moura), vários internautas voltaram a partilhar nas redes sociais um caso ocorrido em 2013.

Tudo começou quando propagou-se nas redes sociais uma publicação de um blog na qual se denuncia que o seu filho João Moura Jr., também ele toureiro, seria adepto do Bull-Baiting.

Esta prática consiste em atiçar cães contra bovinos. Na publicação estão anexadas algumas fotografias de cães a atacarem um touro, sendo que todas elas apresentam uma suposta marca de água com o nome do visado.

O Polígrafo refere que “as fotografias em causa foram originalmente publicadas na página de João Moura Jr. no Facebook, acabando por ser denunciadas pela Associação Animal no ano de 2013. Embora as imagens sejam antigas, não deixam de ser autênticas e o visado pronunciou-se sobre elas através de um comunicado”.

Acrescenta que “a notícia, avançada na altura pelo jornal “Público”, cita o toureiro que emitiu um comunicado através da página da ProToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia no Facebook. “Sei que envergonhei todos aqueles que me acompanham e que o meu comportamento não honrou a minha profissão e o respeito pelos animais que esta exige”, admitiu”.

Recordou ainda que “o toureiro indicou que as fotografias tinham sido captadas “há mais de dois anos” e sublinhou que se tratara de uma “situação isolada, quando os cães entraram inadvertidamente no recinto onde estava a vaca, não se tratando de nenhuma luta de animais“.

O cavaleiro, na altura, explicou ainda que “lamento profundamente que esta situação tenha acontecido e reconheço que cometi um erro crasso ao divulgar tais fotografias. Tenho perfeita consciência da gravidade desta situação e do choque que tais imagens causaram. Estas imagens retratam um acontecimento isolado e não traduzem a minha postura, o meu comportamento e a minha dedicação aos animais, com os quais convivo diariamente“.

O Polígrafo esclarece então de que “confirma-se que João Moura Jr. difundiu fotografias de uma situação que se assemelha à prática de Bull-Baiting. O próprio reconheceu ter cometido um “erro crasso”, mas apresentou uma versão diferente do sucedido, assegurando que “os cães entraram inadvertidamente no recinto onde estava a vaca, não se tratando de nenhuma luta de animais“.

Assim, “a publicação sob análise difunde uma versão que implica um juízo de valor e correlativa extrapolação a partir dos factos conhecidos. Não sendo possível apurar se se tratou realmente de um acidente ou de uma situação intencional (ainda que a exibição das fotografias nas redes sociais aponte para a segunda hipótese), optamos pela classificação intermédia de “Impreciso”.

Explicam ainda de que “este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social”.

Ou seja, “Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é: Misto: as alegações do conteúdo são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou incompleta” e que “Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é: IMPRECISO”.