Ala dos Namorados recupera os clássicos em “Vintage”

ala

 

O cancioneiro da pop portuguesa de meados do século XX foi a base para a gravação do novo disco da Ala dos Namorados – “VINTAGE”.

 

 

“Olhos Castanhos”, “Noites da Madeira”, “Ele e Ela”, “Cartas de Amor” ou o “Fadinho da Tia Maria Benta, são alguns dos temas que fazem parte do imaginário colectivo dos portugueses e que a Ala dos Namorados se propôs trazer para o seu universo musical.

 

 

A voz e interpretação inconfundíveis de Nuno Guerreiro, juntam-se às composições e arranjos de Manuel Paulo que fazem da Ala dos Namorados um exemplo de longevidade da música em Portugal.

 

 

Nas palavras da banda, “a ideia vem de trás, porque a Ala sempre se identificou com a essência musical e estética destas canções e sonoridades. O momento chegou agora e estamos muito satisfeitos com o resultado. Esperamos conseguir passar isso mesmo para as pessoas.”

 

 

“Noites da Madeira” é o single de apresentação do novo disco, uma recriação do tema imortalizado por Max editado em 1949, que já se ouve na rádio. Também Amália, Tony de Matos, Francisco José ou Madalena Iglésias, foram fontes de inspiração deste VINTAGE que promete dar uma nova vida a temas tão marcantes da música portuguesa.

 

 

Para além das versões de standards da música portuguesa, o novo disco da Ala dos Namorados inclui quatro temas originais dentro desta harmonia vintage que será, também, parte integrante dos espectáculos ao vivo. Destaque para “Olha por ti”, em dueto com Jorge Benvinda (Virgem Suta), “Bricabraque e Pechispeque”, com a participação de Manuel Marques, e “Nuage”, um instrumental com a violoncelista Daniela de Brito.

 

 

“Vintage” foi produzido por João Martins e Manuel Paulo, cabendo a este último, como habitualmente, a direcção musical e arranjos de todos os temas. Nuno Guerreiro é a voz da Ala dos Namorados que, há mais de vinte anos, ocupa um território singular na música portuguesa.

 

 

Os músicos, são todos eles colaboradores de longa data da Ala dos Namorados: Alexandre Frazão (bateria), João Balão (guitarra acústica, pandeiro e cavaquinho), Mário Delgado (Guitarra acústica, eléctrica, dobro e banjo), Massimo Cavalli (contrabaixo), Rúben da Luz (trombone) e Zé Nabo (baixo e coros). O piano, piano eléctrico e teclados são de Manuel Paulo que, em parceria com João Monge, assinam a composição dos originais.

 

 

É com esta formação de luxo, com os sucessos acumulados ao longo da sua carreira e com o reportório deste Vintage, que a Ala dos Namorados se apresenta em palco na nova tour já com muitas datas marcadas até ao final do ano.

 

 

 

Alinhamento

  1. Olhos castanhos

        Alberto dos Anjos Alves Coelho

  2. Fadinho da Tia Maria Benta (intro)

        Manuel Paulo

  3. Fadinho da Tia Maria Benta

        Tradicional

  4. Bricabraque e pechisbeque com Manuel Marques

        João Monge/Manuel Paulo

  5. Noites da Madeira

        Tony Amaral

  6. Ele e ela

        Carlos Luís Canelhas Correia

  7. Nuage

        Manuel Paulo

  8. Cartas de amor

        Alberto dos Anjos Alves Coelho

  9. Olha por ti com Jorge Benvinda

        João Monge/Manuel Paulo

10. Ilha dos amantes

        João Monge/Manuel Paulo

11. Não venhas tarde

        Aníbal Teixeira Nazaré/João Dias Nobre

12. Confesso

        José Galhardo/Frederico Valério

13. Animais de estimação

        António Pinho/Luis Linhares

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6805 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador