Sábado, Julho 31, 2021

Burlado acusa Sara Barradas de ser cúmplice no crime cometido pela mãe

Como aqui já demos conta, a mãe e padrasto de Sara Barradas estão detidos por burla.

Contudo, um dos lesados vem agora também acusar a actriz de saber de toda a história e ser cúmplice da mãe.

Bruno Appolloni foi um dos vários queixosos dos esquemas montados pelo casal.

O irmão de João de Almeida (pela parte do pai) explica que “eu e a minha mulher fomos assistentes no processo. Fui o maior lesado em cerca de 84 mil e 500 euros”, em declarações à TV Mais.

Sempre tive uma relação próxima com o meu irmão. Em março de 2014, fui trabalhar para o estrangeiro como expatriado por parte da minha empresa, no ramo da construção civil, e só vinha a Portugal de três em três meses. O meu irmão sabia que eu estava a ganhar bom dinheiro e falou-me do negócio das casas e automóveis em crédito malparado. Dizia-me que eram negócios rentáveis. Envolvi-me nisto em outubro de 2014“, acrescentou o também filho de Io Apolloni.

Detalhou que “ele dizia que a mãe da Sara [Barradas] tinha um contacto direto no Banco Santander Totta: um tal Filipe Martins, que se veio a comprovar que nunca existiu. Eles mostravam-nos fotografias dos anúncios das casas a um preço baixo, dizendo que iria ser feita a escritura. O tempo passava e a escritura nunca mais acontecia. E eles começavam a pedir mais dinheiro para impostos e outras burocracias. Foi quando comecei a chatear-me com o meu irmão“.

Ainda na família houve mais lesados, “com valores astronómicos”.

Bruno Appolloni disse ainda que “a Sara não é nenhuma vítima. Era impossível ela não saber dos esquemas. Conhece bem a mãe. Elas eram muito cúmplices. E, tendo em conta que a progenitora já tinha sido acusada de crimes anteriores, sabia o que ela era“, rematando que “foi uma jogada entre elas“.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
102InscritosInscrever