Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Arronches: Manuel Dias Gomes triunfou forte

Arronches: Manuel Dias Gomes triunfou forte

Arronches: Manuel Dias Gomes triunfou forte, em noite agradável e com bons momentos.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

A pitoresca Praça de Touros de Arronches recebeu, esta sexta-feira, uma corrida de touros mista. Em cartel, os cavaleiros João Moura Caetano e Manuel Telles Bastos e os matadores Antonio Ferrera e Manuel Dias Gomes. Lidaram-se touros das ganadaria de Herdeiros Paulino Cunha e Silva (a cavalo) e Herdeiros Varela Crujo e Paulo Caetano (a pé). Pegaram os forcados amadores de Portalegre e Arronches.

Nas cortesias, guardou-se um minuto de silêncio em memória de Carlos Empis. Após as cortesias foi prestada homenagem pelo município de Arronches ao matador de touros, António Ferrera.

João Moura Caetano abriu praça frente a um bom touro da ganadaria Herdeiros Paulino Cunha e Silva, podendo a sua lide ser dívidida em duas fases. Excelente na brega e na lide dada ao touro, entendendo-o  e percebendo os terrenos da rés. Falhou no momento das reuniões, com maioria delas a resultarem passadas.

Frente ao segundo touro do seu lote, João Moura Caetano voltou a estar extraordinário na brega. Na série de curtos, a forma como bregou foi de fazer parar o tempo, com temple, classe, suavidade. Absolutamente extraordinário. Voltou a pecar nas reuniões. Uma pena e que tirou algum brilho, áquilo que teria sido uma lide de muitos quilates e de claro triunfo.

Manuel Telles Bastos teve uma primeira lide também de excelente brega, mas a pecar no momento das reuniões. Pela positiva, destaca-se o segundo ferro curto, numa reunião mais cingida, que as demais.

Frente ao segundo touro do seu lote, voltou a estar muito bem na brega, no seu actual estilo clássico e sempre de tricórnio na cabeça. Uma brega elegante e de grande conhecimento da arte. Da sua segunda actuação destaca-se o excelente terceiro ferro curto, cravado ao estribo, como mandam as regras. A restante cravagem pecou nas reuniões.

Pelos forcados amadores de Portalegre, as pegas foram concretizadas ao terceiro intento e ao primeiro intento. Esta segunda pega, muito mérito para o forcado da cara a aguentar a investida do touro, até o grupo conseguir fechar-se.

Os Forcados de Arronches tiveram uma primeira pega absolutamente soberba, com o forcado a citar bem e a aguentar uma reunião impactante e os derrotes do touro, até o grupo reunir-se e concretizar num extraordinário primeiro intento. A segunda pega da noite foi concretizada ao segundo intento, mais uma vez numa excelente execução do forcado da cara.

Os touros da ganadaria Herdeiros de Paulino Cunha e Silva saíram todos bem apresentados e com boas condições de lide, destacando-se o segundo (lidado por Telles Bastos e com chamada do ganadeiro à praça) e o terceiro (lidado por Moura Caetano, que tinha uma investida alegre e arrancando-se de todo o lado).

Na parte do toureio a pé, triunfo claro e destacado de Manuel Dias Gomes, com duas faenas de muito bom nível, uma primeira mais artística e uma segunda mais mandona e de poder.

António Ferrera saiu à arena para a lide do primeiro touro da ganadaria Herdeiros Varela Crujo. O matador esteve bem no capote, lanceando à verónica, mas na muleta pouco ou nada conseguiu desenvolver. Encurtou a faena, afirmando ao director de corrida que faz falta os touros serem picados cá, como acontece em Espanha, e não simulou sequer a sorte suprema. Destacar um bom quite de Manuel Dias Gomes e os excelentes pares de bandarilhas de João Ferreira (2) e Filipe Gravito.

No segundo touro do seu lote, foi tudo diferente. Quiçá picado pelo triunfo de Dias Gomes ao quarto da corrida, Ferrera esteve muito bem, frente ao quinto. O matador espanhol puxou dos galões e desenhou a melhor actuação este ano em Portugal, nas várias corridas em que cá toureou. Na muleta, armou o taco e deixou o público arronchense completamente rendido. Séries por ambos os pitons, com o touro a vir de menos a mais e Ferrera a aproveitar todas as qualidades do oponente. Puxou ainda o seu lado mais artístico e deixou extraordinário ambiente. Desta vez, muito bem Ferrera.

O quarto touro da corrida foi recolhido, logo após saída à arena, após ter saído com o piton esquerdo partido. Manuel Dias Gomes lidou, assim, aquele que seria o segundo touro do seu lote. Um touro que veio de menos a mais, numa lide de grande qualidade e verdade do matador português. No capote, esteve muito templado, artístico e profundo. Características que acentuou na muleta. Dias Gomes desenhou uma faena muito conseguida, por ambos os pitons, com vários e bons momentos de temple e mando, numa extraordinária exibição das suas qualidade. Dias Gomes a pedir mais corridas em Portugal.

Manuel Dias Gomes lidou o touro sobrero, da ganadaria de Paulo Caetano. Antes de abordar a segunda actuação do matador português, há uma pergunta a ser feita: Qual o motivo para os empresários não o contratarem mais vezes? Voltou a estar soberbo e mandão em toda a sua faena. Dias Gomes é um regalo em termos de estética toureira e em Arronches conseguiu uma conexão com o público que por vezes lhe falta. Na muleta, entendeu as distâncias e foi subindo o nível da sua actuação, com series por ambos os pitons e a sacar tudo o que o touro tinha para oferecer. Dias Gomes não tem marketing, tem Arte. E isto é dos melhores elogios que se lhe podem fazer. Destaque para o tércio de bandarilhas executado por Cláudio Miguel e João Martins.

Os touros de Herdeiros de Varela Crujo saíram a dar bom jogo destacando-se o lidado por Dias Gomes e o segundo de Ferrera. O touro da ganadaria de Paulo Caetano, embora com uma investida menos franca, foi crescendo com a lide e permitiu também a Dias Gomes exibir-se em bom plano.

Corrida dirigida por Marco Gomes, assessorado por Tenório Guerra. Foi cornetim, Nuno Massano.

Destacar o excelente ambiente em Arronches, com praça cheia, público aficionado e que acarinhou os toureiros. Uma noite de touros agradável, com Dias Gomes e ser o triunfador maior, Ferrera a destacar-se no segundo e Moura Caetano e Telles Bastos a estarem a grande nível na brega, pecando nas reuniões.

Arronches: Manuel Dias Gomes triunfou forte e começa a ser imperceptível porque não tem mais oportunidades em Portugal.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever