Nazaré: Noite apoteótica de Romero, dois excelentes touros de Jorge de Carvalho e a Arte de Palha

Nazaré: Noite apoteótica de Romero, dois excelentes touros de Jorge de Carvalho e a Arte de Palha, na abertura da temporada tauromáquica no Sítio.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

A Praça de Touros do Sítio da Nazaré abriu a sua temporada Tauromáquica, este sábado – 23 de Julho, com um cartel composto por Luís Rouxinol, Francisco Palha, Andrés Romero e os Forcados amadores de Portalegre, Caldas da Rainha e Académicos de Coimbra. Lidou-se um curro de touros da ganadaria de Engenheiro Jorge de Carvalho.

Após as cortesias, a empresa Doses de Bravura e a Confraria de Nossa Senhora da Nazaré homenagearam o cavaleiro Luís Rouxinol, pela celebração dos 35 anos de alternativa.

Destacar a excelente entrada de público, 3/4 fortes de casa, num ambiente festivo e que não se poupou na entrega aos artistas.

Luís Rouxinol abriu as actuações equestres frente a um touro com mobilidade, mas que media e encurtava as distâncias aquando das reuniões, adiantando-se bastante, o que fez o cavaleiro levar alguns toques na montada na fase inicial, aquando do segundo ferro comprido e do primeiro curto. O ginete galvanizou-se e conseguiu dar a volta à lide, terminando em plano positivo, destacando um curto de boa nota.

Gonçalo Lobo, pelos Amadores de Portalegre, concretizou a pega ao primeiro intento.

Francisco Palha enfrentou mais um touro que pediu contas e com quem não se podia errar muito. O cavaleiro começou a sua actuação em plano regular, chegando mesmo a levar um toque na montada. Porém, voltou a demonstrar estar num período de maturação e com muita paciência e segurança, terminando a actuação em bom nível, destacando-se o quarto ferro curto, com uma extraordinária execução.

Joaquim Nilo, pelos Amadores das Caldas da Rainha, concretizou a pega ao primeiro intento, com uma reunião pouco convencional, mas que acabou por ser efeicaz.

Andrés Romero criou um reboliço nas bancadas. Efusivo, com grande ligação ao público, Romero chegou efectivamente com bastante impacto ao público. A sua lide não foi tecnicamente perfeita, destacando-se o terceiro curto de excelente nota, os restantes em tom regular, com um ou outro a resultar em reuniões pouco cingidas. O público acarinhou muito o rejoenador espanhol, despedindo-se dele com forte ovação e de pé. De destacar o touro da ganadaria de Jorge de Carvalho, um belíssimo exemplar no que respeita ao comportamento.

João Gonçalves, pelos Académicos de Coimbra, concretizou a pega ao primeiro intento, de forma eficaz e com o grupo a reagir de forma rápida e efectiva.

Luís Rouxinol teve de se esforçar muito na segunda actuação. Um touro complicado, que arreava forte na reunião, com único interesse em fazer mal, mas que no restante período se desinteressava e tinha pouca transmissão. O cavaleiro teve uma actuação regular, alternando momentos bons, com outros menos bons, compensando com uma entrega total ao público, terminando com um par de banderilhas e um palmito.

Gonçalo Costa, pelos Amadores de Portalegre, concretizou a pega ao segundo intento. No primeiro, apesar de aguentar muitos derrotes, o grupo não conseguiu fechar.

Francisco Palha teve por diante um touro com pouca transmissão, mas que não complicou em demasia. Porém, Palha não facilitou e recusou entrar em números fáceis para os aplausos do público. De início ao fim, desenhou uma lide corrrecta, a querer fazer tudo como mandam os livros de bem tourear. Sortes bem preparadas, com cite frontal, abrindo quarteio e tentando reunir de forma cingida. Lide muito boa de Palha, que merecia maior reconhecimento do público.

António Appleton, pelos Amadores das caldas da Rainha, concretizada ao primeiro intento.

Andrés Romero encerrou as actuações equestres com uma actuação que empolgou o público, com alguns momentos de boa qualidade, destacando-se dois ferros com reuniões muito cingidas. Vários desplantes na cara do touro marcaram a actuação. Público voltou a a aplaudir muito o cavaleiro, numa noite de apoteose a Romero. E aqui, voltámos a ter outro excelente touro da ganadaria de Jorge de Carvalho, que mereceu inclusive chamada da ganadeira (filha de Jorge de Carvalho) à arena.

Martim Rodrigues, pelos Académicos de Coimbra, concretizou a pega ao primeiro intento, numa boa execução e com o grupo a reagir bem e com raça.

Corrida dirigida por José Soares, assessorado por José Luís Cruz.

Uma noite com um ambiente extremamente, por vezes em exagero, festivo e com um público que mais do que apreciar ou valorizar a parte técnica da tauromaquia, quis divertir-se. E portanto, a noite foi de festa, com Romero a ser aclamado pelo povo, o mais aplaudido da noite, mas com Palha a demonstrar Arte. E essa, a Arte, é intemporal. De destacar ainda a excelente prestação dos 3 grupos em praça, com destaque para os Académicos de Coimbra.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

28,672FãsCurtir
12,948SeguidoresSeguir
301SeguidoresSeguir
181InscritosInscrever