Sanjoaninas: Moura Jr. rebentou o quadro com lide extraordinária a touro de Rego Botelho

Sanjoaninas: Moura Jr. rebentou o quadro com lide extraordinária a touro de Rego Botelho, esta sexta-feira.

Sanjoaninas: Moura Jr. rebentou o quadro com lide extraordinária a touro de Rego Botelho

Texto: Rui Lavrador
Fotografia: Paulo Gil

A Praça de Touros da Ilha Terceira, nos Açores, recebeu, está sexta-feira, 24 de Junho, a terceira e última corrida de touros da Feira de São João – Sanjoaninas 2022.

Frente a touros da ganadaria de Rego Botelho, actuaram o cavaleiro João Moura Jr., os matadores José Garrido e João Silva ‘Juanito’ e os Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.

Excelente ambiente dentro do tauródromo insular e público com ‘ganas’ de ver touros e arte.

João Moura Jr. abriu as actuações frente a um touro jabonero, de muito bonitas “hechuras”, porém com comportamento complicado, manso, fugindo muitas vezes para tábuas e desistindo da lide. Coube a Moura Jr. sacar de toda a sua qualidade de brega, movendo o oponente para os terrenos que mais lhe interessavam. Depois da ferragem comprida, destacam-se os dois primeiros curtos, pelo desenho da sorte e reuniões correctas. Nos restantes, conseguiu sobressair por toda a preparação das sortes e o remate das mesmas em curtos espaços de terreno, mesmo que as reuniões nem sempre tenham sido tecnicamente perfeitas. Muito boa actuação do ginete, perante oponente com ‘varias teclas por tocar’.

Pega concretizada ao primeiro intento pelo forcado Luís Sousa, numa espectacular tentativa em que aguentou a investida do touro, que fugiu ao grupo, com o forcado da cara a aguentar-se muito bem. Público de pé em êxtase e prolongado aplauso.

Garrido recebeu o primeiro touro do seu lote, por Verónicas rematando com uma meia e uma larga, tendo posteriormente lidado por chicuelinas. Juanito saiu ao quite e foi também aplaudido. João Pedro Silva (dois pares) e Gonçalo Toste (um par) bandarilharam com eficácia e qualidade. Na muleta, o touro veio a menos e Garrido teve de se esforçar por conseguir tirar algo de valor de um oponente que demonstrou pouca repetição, com várias vezes a fugir para tábuas. Mérito do matador em ter conseguido estar por cima do touro.

Juanito teve por diante um touro muito colaborante, a humilhar e que permitiu ao diestro português uma actuação muito ao seu estilo, explosivo, a arriscar tudo e a conseguir uma forte ligação com o público. No capote pouco se mostrou, delegando o tércio de bandarilhas em Gonçalo Toste e Jorge Silva. Na muleta, armou o taco e esteve totalmente entregue ao touro e ao público, conseguindo através de diversos recursos técnicos, alguns sem ligação, ‘conquistar o conclave.

Homenagem a Francisco Parreira

22 de Julho de 1997 foi o primeiro dia em que Francisco Parreira embolou touros na Praça de Touros da Ilha Terceira. A Tertúlia Tauromáquica Terceirense homenageou-o durante o intervalo da corrida de hoje.

João Moura Jr. recebeu o seu touro em sorte gaiola e teve a infelicidade de o ver partir um corno, após embater na trincheira. Touro mandado recolher. Embora o Regulamento de Espectáculos Tauromáquicos refira que após bandarilhado, não há lugar à saída do sobrero, aqui a situação não se verificou e Moura Jr. lidou mesmo o touro sobrero, jabonero de capa. Recebeu-o em sorte gaiola e a partir daqui partiu para uma actuação de muito valor, exceptuando o primeiro curto cravado de forma pouco correcta e cingida. Destaque maior nas bandarilhas curtas, com o segundo e terceiro ferros a serem de excelente nota e no quarto a dobrar-se muito bem com o oponente num palmo de terreno e cravando junto a tábuas. Seguiu-se uma Mourina de nota muito boa, seguida de outra que deixou o público de pé e em completo delírio. Moura Jr. a rebentar o quadro na Terceira com actuação soberba.

Pega concretizada ao quarto intento por Bernardo Belerique, a sesgo e com ajudas carregadas.

José Garrido recebeu muito bem o seu touro, no capote e esteve artístico e a querer elevar o nível da sua presença na Terceira. Tércio de bandarilhas muito bem executado por João Pedro Silva e Gonçalo Toste, com três excelentes pares. Ambos desmonteraram-se e foram brindados com forte aplauso. Na muleta, momentos de profundidade, porém o touro rachou-se cedo e voltou a complicar a vida do toureiro espanhol.

Coube a Juanito encerrar as actuações, recebendo o touro de joelhos em terra à porta dos curros. Voltou a impactar, desta vez no capote, conquistando o público. Na muleta, a história foi diferente e pouco ou nada há a contar, excepto a vontade do toureiro em não defraudar o público.

O curro de Rego Botelho teve boa apresentação, com o 3º touro da corrida a ser o menos vistoso, sendo díspar em comportamento.

Corrida dirigida por Mário Martins, assessorado por Vielmino Ventura.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

28,491FãsCurtir
12,919SeguidoresSeguir
294SeguidoresSeguir
176InscritosInscrever