Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Soraia Costa regressa ao Coliseu Figueirense: “Todos os ingredientes para ser uma noite muito bonita”

Foto: João Silva / Tauroleve

Soraia Costa regressa ao Coliseu Figueirense: “Todos os ingredientes para ser uma noite muito bonita”, disse-nos em entrevista.

No próximo dia 4 de Setembro, pelas 22:00, O Coliseu Figueirense, na Figueira da Foz, receberá a terceira e última corrida de touros da sua temporada tauromáquica 2021.

Uma corrida muito especial e que terá como ingrediente extra a homenagem à mulher, contando com três cavaleiras em cartel: Sónia Matias, Ana Batista e Soraia Costa. O cartel fica completo com os forcados amadores do Ribatejo, Moura e Caldas da Rainha e um curro da ganadaria de Pinto Barreiros.

Soraia Costa tomou alternativa este ano, no Coliseu Figueirense, regressando agora à Figueira da Foz como cavaleira profissional.

Questionada se isto lhe aumenta a responsabilidade, foi clara: “Sim, sem dúvida. No entanto, para mim entrar em praça é e sempre foi uma responsabilidade“.

Da noite da alternativa destaca o facto de “ter o Mestre João Moura como padrinho, que é a maior referência e aquele que marcou o toureio a cavalo a nível mundial. Ter os meus pais, a minha família e amigos presentes, ter um cartel como desejei, ter o apoio e o carinho incondicional do público e por fim ter corrido tudo bem“.

Considera que foi a noite sonhada e “não mudaria nada. Claro que nas lides há sempre coisas a melhorar e não foi excepção. Mas foi uma noite que não mais esquecerei”.

A 4 de Setembro a terna equestre é toda feminina, “sendo a tauromaquia um mundo essencialmente de homens, o aparecimento das mulheres deve ser valorizado e reconhecido.
A competição é geral e é saudável para nos fazer dar o nosso melhor
“, destacou.

Sobre as suas colegas de cartel, Sónia Matia e Ana Batista, considera que “são duas mulheres com muita garra e com um grande percurso profissional, por quem tenho muita admiração e carinho“.

Tenho quatro cavalos. O Barbeiro e o Zeus que são dois cavalos que dispensam apresentações, que me permitem fazer o toureio que gosto. O Alicante e o Califa que me permitem lidar qualquer tipo de toiro“, acrescentou, sobre a sua quadra de cavalos.

Este período de dois anos de pandemia, provocada pela COVID-19, “não foi fácil, pois durante a pandemia os cavalos mantiveram os cuidados e a manutenção diária da mesma forma como numa temporada normal“, disse ainda sobre os prejuízos.

A jovem Soraia Costa tem sido cara de várias marcas, levando assim o seu nome além da tauromaquia. Questionada se isso permite também levar a tauromaquia a outros públicos, considera que “sim, sem dúvida!! Penso que para a tauromaquia é uma mais valia estar ligada a marcas tão conceituadas e às quais me identifico“.

Inevitavelmente, ser o rosto dessas marcas faz a tauromaquia chegar a todo o tipo de público“, continuou.

Monto a cavalo todos os dias, para além disso tenho que conciliar com outras atividades paralelas.
Gosto muito de desportos radicais, andar de moto4, mota de água. Ir à praia, estar com a família e amigos
“, disse Soraia sobre os seus gostos, além da tauromaquia.

Convido todos a virem aos toiros, tem todos os ingredientes para ser uma noite muito bonita. Para além de ser o fecho da temporada no Coliseu Figueirense, é um cartel apelativo. Espero estar à altura deste desafio e não defraudar o público“, rematou, convidando assim o público a marcar presença na Figueira da Foz.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever