Sábado, Setembro 25, 2021

Fátima Lopes sobre a TVI: “Não permito a ninguém que me enxovalhe”

Fátima Lopes sobre a TVI: "Não permito a ninguém que me enxovalhe"

Fátima Lopes sobre a TVI: “Não permito a ninguém que me enxovalhe”, disse em entrevista à TV Guia sobre a saída do canal.

No início do ano, Fátima Lopes saiu da TVI. Foram 10 anos a trabalhar na estação de Queluz.

Explicou que o que levou à sua saída da estação foi “um somatório de desvalorizações e de desconsiderações… Nos últimos dois, três anos“.

Funcionava como uma espécie de pastilha elástica: esticava e encolhia conforme dava jeito, mudava de horário constantemente. Tanto estava no ar como deixava de estar uns dias, porque havia uma outra opção qualquer. E isto mata um formato, a confiança do público e, consequentemente, a da apresentadora”, disse sobre as constantes alterações que ‘A tarde é sua’ foi sofrendo.

Em 2019, “a TVI faz-me uma proposta que passava por um corte de cerca de 30 por cento no ordenado. Justificaram-se com a fragilidade financeira da empresa. Como me senti? Desapontada, naturalmente… Não permito a ninguém que me enxovalhe… Mas obviamente senti-me desconsiderada”, explicou, tendo aceitado a proposta.

Aceitei o que me ofereceram, com a promessa de que, assim que fosse possível, o que tinha sido cortado seria reposto… O tempo foi passando e nunca mais falaram comigo. Até que chegámos a junho e são feitas múltiplas contratações pela empresa. E pensei: bom, a empresa já está financeiramente saudável, porque conseguiu contratar equipas inteiras, e vai chamar-me. Nunca o fez”, continuou Fátima Lopes.

Outra desconsideração deu-se com o regresso do programa ‘Conta-me’, mas em que não seria a única a apresentar.

Disse que não apresentava. Era mais uma desconsideração. Como é óbvio, e como quem não se sente não é filho de boa gente, concluí que não me queriam na TVI. Não fico onde não sou bem tratada. O mínimo que se espera é que haja uma palavra, uma justificação. Não houve“, explicou.

Sobre aqueles que foram menos corretos consigo ao longo de todo o processo, a apresentadora, que assume estar “tranquila”, confessou: “Disse-lhes tudo. Não levo desaforos para casa. Justificaram-me como quiseram, mas isso não se justifica. Foi mais uma gota de água na nossa relação. Repare, não tenho nada contra a TVI, não estou a falar mal de ninguém, não há animosidades com ninguém. Estou apenas a relatar factos que me levaram a tomar uma posição”.

As pessoas não podem levar talhadas atrás de talhadas no ordenado. Nada foi acautelado. Percebi que não havia condições para um acordo… Uma pessoa não pode continuar a andar para trás. Cheguei à conclusão de que o meu ciclo na TVI tinha terminado”, disse sobre os motivos da saída.

A apresentadora confessou que ficou “desiludida” por não a tentarem demover de sair do canal, mas que deixou a estação de Queluz de Baixo de cabeça erguida. “Saí de cabeça erguida. Não devo nada a ninguém. Arrumei completamente essa gaveta da minha vida. Sou pragmática. Talvez até à data da minha decisão, tenha passado eventualmente pelo choro, tristeza, zanga e desilusão. Sou sempre assim. Mas depois tenho de seguir em frente“, revelou.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever