Sábado, Setembro 25, 2021

Maria João Abreu sentia-se culpada pela prisão da mãe de Sara Barradas

Maria João Abreu sentia-se culpada pela prisão da mãe de Sara Barradas

Maria João Abreu sentia-se culpada pela prisão da mãe de Sara Barradas, revelou uma fonte próxima da actriz e de João Soares à TV 7 Dias.

Maria João Abreu morreu no dia 13 de maio na sequência de um AVC hemorrágico que ocorreu após o rompimento de um dos dois aneurismas cerebrais que tinha.

Maria João Abreu carregava a culpa de ter avançado com um processo contra Felisbela Dias, a mãe de Sara Barradas.

A relação de ambas as actrizes naturalmente esfriou, tendo a mãe de Sara Barradas sido condenada a sete anos de prisão efetiva por 11 crimes de burla qualificada.

Maria João Abreu, apesar de lesada, sentia-se culpada pela prisão da mãe da amiga.

Tudo terá ocorrido entre 2014 e 2017, altura em que os crimes foram praticados não só por Felisbela Dias, como também pelo seu companheiro, João de Almeida, pai de Íris, a irmã mais nova de Sara Barradas.

O crime consistia em angariar dinheiro através da venda de casas penhoradas, a preços muito abaixo do valor de mercado, criando uma personagem fictícia, Filipe Martins, que diziam ser funcionário de um banco.

Maria João Abreu e João Soares foram uns dos visados e apresentaram queixa na polícia contra Filipe Martins, o alegado culpado.

No dia da escritura, o senhor não aparece, não há escritura nenhuma, e eles resolvem fazer queixa. Quando chegam à policia para fazer queixa do senhor do banco, a policia começa à procura e não encontra nenhum senhor do banco com aquele nome, ou a pessoa já tinha morrido, esta parte não sei bem”, disse fonte ligada ao casal à TV 7 Dias.

Esta amiga da família revelou ainda que “quando lhe perguntam quem lhes indicou o senhor, ela diz que foi uma pessoa da confiança dela, quase família. Eles perguntaram o nome e ela disse o nome dos dois, quer dele, quer dela”.

E foi quando tudo mudou ao mencionarem o nome de Felisbela Dias, “a policia vira o computador para ela e pergunta se era aquela pessoa. E caiu-lhe tudo. Então foi quando a polícia lhe disse que a culpa não era do suposto senhor do banco, mas daquela senhora, que já era uma habitué a fazer burlas”.

Maria João Abreu culpava-se por ter feito queixa contra mãe de Sara Barradas

No fundo, a Maria João foi apanhada de surpresa, mas sentia-se culpada. Depois já não havia nada a fazer. Ela andava preocupadíssima porque se sentia culpada por ter posto a outra pessoa na cadeia”, disse.

“Ela era lesada e, ainda assim, sentiu-se culpada”, rematou.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever