Quarta-feira, Setembro 22, 2021

João Ribeiro Telles triunfou no Campo Pequeno

João Ribeiro Telles triunfou no Campo Pequeno

João Ribeiro Telles triunfou no Campo Pequeno, num mano-a-mano com Marcos Bastinhas.

A Praça de Touros do Campo Pequeno recebeu, esta sexta-feira, a segunda corrida da Feira Taurina de Lisboa.

Frente a touros de António Raul Brito Paes, actuaram os cavaleiros Marcos Bastinhas e João Ribeiro Telles e os Forcados do Ribatejo, Chamusca e Cascais.

Durante as cortesias foi guardado um minuto de silêncio em memória de Jorge Sampaio.

Marcos Bastinhas abriu praça frente ao mais pesado touro da corrida, com 690 Kg. Um touro sem grande transmissão, que faltava ao momento da reunião e que não permitiu ao cavaleiro de Elvas muito luzimento na sua actuação. Destaca-se um curto de boa nota, numa sorte bem desenhada, reunindo no centro da arena. Marcos, humildemente, não deu volta à arena, apesar de autorizada.

Pedro Espinheira, cabo dos Amadores do Ribatejo, concretizou ao primeiro intento, mandando na investida do touro e aguentando bem no momento da reunião.

João Ribeiro Telles enfrentou outro touro complicado. Inicialmente distraído, para depois ganhar querença em tábuas. João teve uma actuação positiva, porém sem romper. O primeiro curto é de muito boa nota, desde a preparação da sorte até ao remate da mesma. A actuação depois veio em decrescendo no momento das reuniões seguintes, com o touro, também, a vir a menos.

Miguel Santos, pelos Amadores da Chamusca, concretizou ao segundo intento.

Marcos Bastinhas enfrentou um touro mais colaborante, porém sem grande transmissão, na senda dos anteriores. Marcos Bastinhas esteve mais a gosto, com um toureio de poder, desenhando as sortes de praça a praça. Destacam-se dois curtos de muito boa nota, antecedido de cite em levada. Uma actuação positiva do cavaleiro elvense.

Um ‘pegão’, aquele realizado pelos Amadores de Cascais ao terceiro touro da noite. Ventura Doroteia foi à cara do touro e aguentou muito bem a investida do mesmo, contando com uma excelente primeira ajuda. Duas voltas para o forcado, a segunda acompanhado do primeiro ajuda.

João Ribeiro Telles desenhou uma actuação muito positiva, frente ao quarto touro da noite. Depois de cravada a ferragem comprida, o primeiro comprido é de muito mérito, seguiu-se a cravagem curta, na qual elevou a actuação. Primeiro com ferros cravados, antecedidos de batida ao piton contrário, nem sempre com reunião correcta, que colocaram o público em alvoroço, depois com um violino, outro violino e um palmito à meia volta. Uma actuação muito diversificada, frente ao melhor touro, que permitiu ao ginete triunfar. Duas voltas à arena [ndr: as voltas actualmente resumem-se a agradecimentos no centro da arena].

Dário Silva, pelos Amadores do Ribatejo, concretizou a pega ao segundo intento.

Marcos Bastinhas viu o terceiro touro do seu lote sair inferiorizado, sendo ordenada a recolha aos curros, pela direção de corrida. Assim, alterou-se a ordem de lide, com João Telles a lidar o terceiro do seu lote, quinto da corrida.

João Ribeiro Telles brindou a sua actuação a Marcos Bastinhas e Helena Nabeiro. E que bem voltou a estar Telles. Motivado pela lide anterior, o cavaleiro voltou a estar francamente bem, pecando em algumas reuniões menos bonitas tecnicamente. Mas a forma como bregou, desenhou as sortes e as rematou, deixaram o público em polvorosa. Terminou  com dois ferros impactantes, devido a forte batida ao piton contrário, em terrenos de compromisso. Noite bonita de Telles, no Campo Pequeno.

Carlos Dias, pelos Amadores de Cascais, concretizou ao primeiro intento, de muito mérito, aguentando bem a investida, fechando-se bem, mesmo com forte embate em tábuas. Grande pega.

Duas voltas para cavaleiro e forcado, sendo a segunda mesmo dada em redor da arena.

Marcos Bastinhas teve uma terceira lide, a sexta da corrida, absolutamente irrepreensível. Frente ao touro sobrero, esteve soberbo, com três curtos de grande nível e dois pares de bandarilhas. Actuação de muitos quilates. Público em êxtase, perante um Marcos que saiu da arena apeado, sob fortes aplausos.

Francisco Rocha, dos Amadores da Chamusca, fez um pegão. À primeira tentativa, aguentou-se bem fechado na córnea do touro, até o grupo conseguir reunir. Grande execução.

Duas voltas para cavaleiro e forcado.

Carlos Anjos, Pedro Batalha e António Lúcio integraram o júri para definir a atribuição do prémio para a melhor pega.

Venceu Francisco Rocha (Chamusca), pela 6ª pega da corrida, foi o vencedor. Foi ainda atribuída uma lembrança ao Grupo de Forcados Amadores de Cascais, pelos 40 anos de actividade.

João Ribeiro Telles saiu em ombros, pela porta grande do Campo Pequeno, numa noite em que marcou posição e triunfou frente a um dos cavaleiros mais destacados desta temporada.

O curro de António Raul Brito Paes saiu com peso e apresentação, mas sem grande transmissão, com Marcos Bastinhas a ter o pior lote da corrida no computo geral.

A corrida foi dirigida pelo delegado técnico tauromáquico, João Cantinho, assessorado pelo médico veterinário, Jorge Moreira da Silva. 

A Praça de Touros do Campo Pequeno voltou a registar uma assistência aquém das expectativas, contudo ligeiramente melhor do que a noite anterior.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever