Jorge Palma imparável em ‘Voo Nocturno’ sem perder o ‘Norte’ e ‘Com todo o respeito’

Jorge Palma imparável em ‘Voo Nocturno’ sem perder o ‘Norte’ e ‘Com todo o respeito’, em mais uma noite no Teatro Tivoli BBVA.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

Jorge Palma actuou, pela quarta vez, no Teatro Tivoli BBVA, na série de concertos que integram a ‘Antologia’, que também já o levou ao Palácio Baldaya. Ficam a faltar duas noites no Capitólio, com Palma’s Gang.

Num dia em que Lisboa teve chuva em doses generosas e até um tornado a fazer estragos, Jorge Palma foi novamente um vulcão de emoções, para gáudio do muito público que preencheu a quase totalidade da sala lisboeta.

Em cada um dos concertos de Antologia, Palma tem abordado 3 discos. Neste, a base do alinhamento foi ‘Norte’ (2004), ‘Voo Noturno’ (2007) e ‘Com Todo o Respeito’ (2011), além do single ‘The Nine Billion Names of God’ datado de 1972, a sua primeira gravação.

Com a sua discografia a ser toda revista nestes espectáculos, percebe-se que a genialidade foi sempre muita, porém percebendo cada um dos momentos que Palma atravessou e também a aetnção do artista às mudanças que o mundo foi sofrendo. A sua linguagem é flecha certeira em corações sensíveis e almas inquietas.

Talvez por isso, o seu público, actualmente, atravesse várias faixas etárias, bem como distintos estratos sociais.

Através da música, Palma comunica com todos de igual forma, indo ao seu interior sem pedir licença e por isso tem tantos a idolatrá-lo. Porque Palma tem a capacidade de exprimir em arte o que o comum dos humanos por vezes tenta não demonstrar.

E é nesta mescla entre arte e humanidade, que os concertos de Palma se desenrolam em cada sala, com a arte a despertar as mais intensas sensações em cada pessoa, fazendo-as emocionar a cada tema. Porque, em algum momento da sua vida, viveu o que Palma acabara de cantar.

Esta noite, fria no exterior, mas que rapidamente aqueceu no interior, Palma revisitou os discos mais recentes e deles não se afastou, apesar de alguns pedidos para temas mais antigos. O público não se importou e por entre estrondosas ovações e gritos de “és único”, “és muito bom” ou gritos de êxtase, foi dando ao artista um pouco do que ele acabara de lhes entregar através da música.

Música essa que contou com o habitual quarteto composto por Joca, Nuno Lucas, Pedro Vidal e Vicente Palma e a participação de Gabriel Gomes em alguns dos temas.

Minitemporada no Tivoli cumprida com êxito, milhares de pessoas felizes e a certeza de que as duas noites no Capitólio (19 e 20 de Novembro) fecharão com chave de ouro esta série antológica de concertos.

Alinhamento:

The Nine Billion Names of God
Quarteto da Corda
Optimista Céptico
Escuridão
Dom Quixote
Acordar Tarde
Tama-Ra
O Centro Comercial Fechou
Miúda do Oriente
Gaivota dos Alteirinhos
Norte
Outono
Voo Nocturno
Olá
Finalmente a sós
Página em Branco
Encosta-te a mim
Valsa de um homem carente
Imperdoável
Com todo o respeito
Anjos de Berlim
Agora não, ainda não
Passeio dos Prodígios

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

28,923FãsCurtir
12,945SeguidoresSeguir
308SeguidoresSeguir
201InscritosInscrever