Terça-feira, Setembro 21, 2021

Nazaré: Casa cheia e triunfo da alegria de ir aos touros

Nazaré: Casa cheia e triunfo da alegria de ir aos touros

Nazaré: Casa cheia e triunfo da alegria de ir aos touros, numa das praças com melhor ambiente na cena tauromáquica nacional.

A Praça de Touros da Nazaré recebeu, este sábado, uma corrida de touros de máxima competição. O cartel foi composto pelos cavaleiros Luís Rouxinol, João Moura Jr. e Marcos Bastinhas e pelos forcados amadores de Montemor e Lisboa. Lidou-se um curro de touros da ganadaria Passanha.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

Ir a uma corrida de touros na Nazaré é uma experiência única para todos os sentidos, desde a gastronomia, às tradições e, claro, passando pela genuinidade das suas gentes. A festa tem um sabor a povo, para que nunca nos esqueçamos de aonde pertencemos.

Lotação esgotada, dentro das normas permitidas, era um excelente auguro, antes da corrida, para o que se passaria na arena.

Após as cortesias foi realizado um minuto de silêncio, em memória de João Lopes Aleixo e Carlos Empis.

Luís Rouxinol abriu as actuações, frente a um bom touro da ganadaria de Passanha, bem apresentado e com mobilidade, apesar de pouca força, algo que se foi acentuando com o desenrolar da lide. O cavaleiro de Pegões esteve em crescendo, após dois compridos, com destaque na ferragem curta. Montando o cavalo Douro, Rouxinol esteve extraordinário na brega, no desenho e remate das sortes. Pecou nas reuniões. Terminou com um par de bandarilhas, à segunda, após na primeira tentativa, uma das bandarilhas ter ficado presa nas fitas do cavalo. Boa actuação de Rouxinol à abrir.

Miguel Ribeiro, pelos Amadores de Montemor, pegou ao primeiro intento, aguentando forte derrote, com o grupo a reagir rapidamente, consumando com êxito.

Competição ao mais alto nível. Moura Jr. respondeu à boa actuação de Rouxinol, com outra boa lide. Toda a lide baseada na brega de muitos quilates e temple, perante outro bom exemplar da ganadaria Passanha. Nem sempre com reuniões cingidas, mas Moura Jr. bordou o toureio e colocou o público da Nazaré em polvorosa. Terminou, montando o Hostil, com o qual cravou dois curtos em sorte Mourina, com o primeiro a saltar após bater noutra bandarilha, e ainda um par de bandarilhas, executando a mesma sorte.

Tiago Silva, pelos Amadores de Lisboa, concretizou a pega à primeira tentativa, com o grupo de Lisboa a estar muito bem.

Marcos Bastinhas joga em casa na Nazaré. As gentes nazarenas têm uma enorme estima e carinho pelo nome Bastinhas. Neste mesma praça, o seu pai era rei e Marcos é, actualmente, o príncipe. Actuação muito alegre, com variedade de sortes, constante ligação ao público e pecando apenas no momento da reunião. Terminou com um ferro cravado em sorte de violino.

José Maria Matos, pelos Amadores de Montemor, aguentou um forte derrote, após reunião com o touro, concretizando ao primeiro intento. Mais uma vez, o grupo de a Montemor a responder de forma ágil e aguerrida.

A segunda lide de Luís Rouxinol teve menos qualidade, do que a primeira. Começou mal, com um ferro comprido muito descaído. Acertou sitio e deixou dois compridos de boa nota. Na série de curtos, alternou momentos de bom toureio, com reuniões pouco ajustadas.

Nuno Fitas, pelos Amadores de Lisboa, esteve muito bem na pega ao quarto touro. Após reunir, o touro mudou de rumo, fugindo ao grupo, tendo os Forcados de Lisboa agido rapidamente e concretizado ao primeiro intento.

João Moura Jr. esteve em grande plano, frente ao quinto touro da noite. O primeiro comprido é cravado ao estribo, conforme mandam as regras. Depois, desenhou uma lide baseada em brega Mourista, com plasticidade, elegância e temple. Na série de curtos, destaca-se um cravado ao estribo, além de mais dois de boa nota que se destacaram da demais ferragem. Moura Jr. a deixar muito bom ambiente e a apostar todas as fichas num cartel de máxima competição.

João Calixto, pelos Amadores de Montemor, foi autor de mais um pegão, concretizado ao primeiro intento.

Marcos Bastinhas encerrou as actuações no que às lides diz respeito. Frente ao pior touro da corrida, o único que destoou de comportamento, Marcos Bastinhas esteve em plano positivo, embora nem sempre reunindo bem, umas vezes por falta de touro, outras por falta de sítio. Terminou com um par de bandarilhas e apeando-se do cavalo, sendo ainda de destacar um ferro comprido, no início da actuação, de muito boa nota.

Bernardo Reboredo, pelos Amadores de Lisboa, pegou ao terceiro intento, em mais uma pega de enorme qualidade e valentia. Nota para o estrondoso aplauso com que o grupo foi brindado pelo público, com destaque para o forcado da cara.

O curro de touros da ganadaria Passanha saiu bem, com maioria dos touros a cumprirem no comportamento durante as lides e rematados em apresentação. Destoou o último touro da corrida. Contudo, uma noite positiva para o ganadeiro.

Corrida muito bem dirigida, eficaz e coerentemente, pela delegada técnica tauromáquica Ana Pimenta, assessorada pelo médico veterinário José Manuel Lourenço. 

Nazaré: Casa cheia e triunfo da alegria de ir aos touros, vendo os toureiros em competição, assim como os dois grupos de forcados. Que nunca nos falte esta alegria!

A Praça de Touros da Nazaré recebe uma corrida de touros a 4 de Setembro.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever